Acessar o conteúdo principal
Somália/ Atentado

Ataque com carro-bomba deixa pelo menos 76 mortos na Somália

Equipe de resgate carrega um corpo após um ataque com carro-bomba em Mogadíscio, na Somália, que deixou dezenas de mortos.
Equipe de resgate carrega um corpo após um ataque com carro-bomba em Mogadíscio, na Somália, que deixou dezenas de mortos. REUTERS/Feisal Omar

Um ataque com carro-bomba deixou pelo menos 76 mortos e dezenas de feridos neste sábado (28), em um movimentado bairro de Mogadíscio, um dos mais mortais da capital da Somália, alvo regular de insurgência islâmica.

Publicidade

"O número de vítimas que confirmamos é de 76 mortos e 70 feridos. Mas pode ser ainda maior", disse o diretor do serviço de ambulância Aamin Ambulance, Abdukadir Abdirahman Haji.

Um oficial da polícia, Ibrahim Mohamed, descreveu a explosão, que ocorreu em uma área com tráfego intenso, onde há um posto de segurança e um centro fiscal, como "devastadora".

O prefeito de Mogadíscio, Omar Mohamud Mohamed, disse em entrevista coletiva que o número exato de mortos ainda não é conhecido, mas que o número de feridos seria de cerca de 90. "Confirmaremos o número exato de mortes mais tarde, mas será significativo. A maioria dos mortos são estudantes inocentes e outros civis", disse ele.

Os feridos foram retirados em macas do local repleto de detritos retorcidos e carbonizados de veículos afetados pela explosão. "Foi devastador porque havia muitas pessoas no local, especialmente estudantes do ensino médio em um ônibus", disse a testemunha Muhibo Ahmed.

"Tudo o que pude ver foram cadáveres dispersos, alguns queimados a ponto de serem irreconhecíveis", disse Sakariye Abdukadir, também presente no local.

Contexto marcado por violência

O ataque, que não foi imediatamente reivindicado, ocorreu em um contexto marcado por várias ações violentas dos islâmicos Shebab, afiliados à Al-Qaeda. Esses insurgentes são contrários à perda do governo da Somália, apoiado pela comunidade internacional e pelos 20 mil homens da força da União Africana na Somália (Amisom).

Afastados de Mogadíscio em 2011, eles perderam a maioria dos seus pontos de resistência, mas ainda controlam grandes áreas rurais de onde realizam operações de guerrilha e atentados suicidas, inclusive na capital, contra objetivos governamentais, de segurança ou civis.

Há duas semanas, o Shebab atacou um hotel na capital frequentado por políticos, oficiais e diplomatas.

Desde 2015, houve 13 ataques na Somália, com balanços iguais ou superiores a 20 mortos, incluindo onze em Mogadíscio. O ataque mais mortal da história do país ocorreu em outubro de 2017, quando 512 pessoas foram mortas e 295 feridas pela explosão de um caminhão-bomba em Mogadíscio.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.