Acessar o conteúdo principal
Angola/ Enclave de Cabinda

FLEC confirma contactos exploratórios com as autoridades angolanas

Logotipo da Frente de Libertação do Estado de Cabinda
Logotipo da Frente de Libertação do Estado de Cabinda

O secretário de Estado angolano para os Direitos Humanos, António Bento Bembe, confirmou ontem (5/08) à Rádio Eclésia, em Luanda, estarem em curso "contactos exploratórios secretos", entre o governo angolano e a Frente de Libertação do Estado de Cabinda, para conduzir à estabilidade no enclave.

Publicidade

O general António Bento Bembe afirmou estar disposto a participar nas discussões com os guerrileiros da FLEC.

Bento Bembe, antigo dirigente deste movimento, assinou em 2006 com as autoridades angolanas e como presidente do Fórum Cabindês para o Diálogo, o Memorando de Entendimento para a Paz em Cabinda, refutado pelos actuais dirigentes da Frente de Libertação do Estado de Cabinda.

O general Alexandre Builo Tati, recentemente investido como presidente da FLEC e Chefe Supremo das Forças Armadas Cabindesas Unificadas, embora não reconhecido como tal por N'zita Tiago (o presidente histórico deste movimento, que aliás o demitiu) confirma a existência destes contactos exploratórios, apela as autoridades angolanas a negociaçoes, e ambas as partes à moderação, para pôr termo ao conflito armado vigente em Cabinda há quase meio século.

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.