Acessar o conteúdo principal
Guiné Bissau

Guarda Fronteira guineense recusa salário de janeiro

General António Indjai, chefe de estado maior das Forças Armadas da Guiné-Bissau
General António Indjai, chefe de estado maior das Forças Armadas da Guiné-Bissau Abdurahamane Turé

Os soldados da Guarda Fronteira recusaram-se a receber o salário do mês de janeiro, alegando uma diferença de valores com os colegas militares. Protesto que obrigou à intervenção do chefe das Forças Armadas guineense, António Indjai.

Publicidade

O general António Indjai foi chamado pelo ministro do Interior, Denis Cabelol Na Fantchamna, para convencer os soldados da Guarda Fronteira que se recusaram a receber os ordenados, disponíveis desde o dia 25 deste mês.

Após uma reunião em plena estrada, em frente à sede do Ministério do Interior, o general António Indjai disse compreender a reivindicação dos soldados da Guarda Fronteira, mas instou-os a aceitarem os ordenados deste mês com a promessa de falar com o Governo para resolver a questão.

Os soldados da Guarda Fronteira afirmam estar a ser injustiçados pelos recentes ajustes salariais de acordo com as patentes efetuados nas Forças Armadas, já que ainda não estão a receber os aumentos.António Indjai disse que uma comissão a ser criada irá analisar a questão para propor ao Governo os ajustes necessários.

Os soldados da Guarda Fronteira prometeram aceitar os salários deste mês, mas deixaram claro que voltarão a recusá-los se no mês de fevereiro não forem feitos os reajustes.

 

Com a colaboração do nosso correspondente em Bissau, Mussa Baldé

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.