Acessar o conteúdo principal
África do Sul

O mundo presta homenagem a Nelson Mandela

Barack Obama discursando na homenagem a Nelson Mandela neste 10 de Dezembro, em Soccer City no bairro de Soweto, Joanesburgo.
Barack Obama discursando na homenagem a Nelson Mandela neste 10 de Dezembro, em Soccer City no bairro de Soweto, Joanesburgo. REUTERS/Kevin Lamarque

Na África do Sul, milhares de pessoas, entre elas dirigentes do mundo inteiro reuniram-se hoje no estádio Soccer City em Joanesburgo para prestar uma última homenagem a Nelson Mandela falecido no final da semana passada.

Publicidade

Representantes das religiões judaica, hindu, muçulmana e cristã foram sucessivamente ouvidos por dezenas de milhares de pessoas, entre elas familiares, 80 chefes de Estado e de governo, membros da realeza e líderes políticos, alguns dos momentos fortes tendo sido os discursos do Presidente Barack Obama ou ainda da Presidente Brasileira Dilma Rousseff. A correspondente da RFI na África do Sul, Mariamo Hassamo dá-nos mais informação.

Este momento de evocação de Nelson Mandela ficou marcado por gestos carregados de simbolismo. Winnie Mandela, segunda esposa de Nelson Mandela aproximou-se da viúva do histórico líder africano, Graça Machel, e cumprimentou-a com um beijo, apesar de ambas habitualmente se ignorarem.

Noutro aspecto, antes de falar no memorial de Nelson Mandela, o Presidente americano Barack Obama cumprimentou com um aperto de mão o chefe de estado cubano, Raul Castro, um gesto inédito entre os líderes das duas nações desavindas desde a guerra fria, há mais de meio século. Ao recordar o homem que o influenciou enquanto estudante, Barack Obama lembrou o legado que deixa Nelson Mandela.

Na sua também vibrante homenagem a Nelson Mandela, a Presidente brasileira Dilma Rousseff começou por se referir a Madiba como tendo sido uma das mais importantes personalidades do século vinte.

Também o primeiro-ministro cabo-verdiano José Maria Neves que este fim semana esteve na capital francesa para participar na Cimeira Franco-Africana de defesa e Segurança, referiu-se a Nelson Mandela com uma figura que inspirou todo o continente africano.

Por sua vez, Gilberto Martins, Membro do Congresso Nacional Africano ANC, e conselheiro do ministro dos transportes que chegou a mesmo trabalhar com Nelson Mandela refere que uma das qualidades do líder histórico era a capacidade em ouvir os outros antes de tomar qualquer decisão.

Celebrado e homenageado, Nelson Mandela tem sido recordado antes mesmo da sua morte, aqui em Paris, através de uma exposição relembrando o seu percurso da prisão para a chefia do Estado Sul-Africano. A RFI esteve lá e ouviu Luís Silva, sociólogo cabo-verdiano radicado aqui em França.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.