Acessar o conteúdo principal
Moçambique

Impugnação do processo eleitoral interno do partido no poder em Moçambique

O processo de escolha dos candidatos à sucessão de Armando Guebuza tem sido alvo de controvérsia
O processo de escolha dos candidatos à sucessão de Armando Guebuza tem sido alvo de controvérsia Reuters/Grant Lee Neuenburg

O Comité de Verificação da Frelimo, órgão jurisdicional do partido no poder em Moçambique, confirmou hoje ter recebido uma impugnação do processo que resultou na apresentação de três pré-candidaturas à sucessão de Armando Guebuza na perspectiva das presidenciais do próximo mês de Outubro.

Publicidade

No passado mês de Dezembro, a Comissão Política da Frelimo designou três pré-candidatos, o actual Primeiro-ministro, Alberto Vaquina, o Ministro da agricultura, José Pacheco assim como Filipe Nyussi, Ministro da defesa nacional, cujas candidaturas devem ser apreciadas pelo Comité Central da Frelimo no final deste mês. Ao serem propostas estas candidaturas, a liderança do partido especificou que se poderia escolher apenas entre estes três responsáveis.

Contudo, na semana passada, a imprensa moçambicana deu conta da existência de um abaixo-assinado de membros do Comité Central da Frelimo contestando este preceito. Muitas vozes, algumas delas de membros-fundadores do partido, argumentaram que a Comissão Política não é o único órgão com habilitação para propor candidatos no seio da Frelimo e que, por conseguinte, a escolha não deverá restringir-se a apenas três nomes.

Este não é todavia o ponto de vista defendido por Damião José, porta-voz da Frelimo, que ao argumentar que o processo de escolha das três pré-candidaturas obedeceu aos estatutos internos, também nega ter conhecimento da impugnação.

Por sua vez, tanta certeza não tem o antigo Presidente Joaquim Chissano. Após um encontro com o Primeiro-ministro de Cabo Verde, país onde se encontra actualmente a participar na Cimeira sobre Inovação em África, Joaquim Chissano considerou que a questão da eleição do candidato da Frelimo às presidenciais "está ainda em aberto" e que o Comité Central é "soberano".

 

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.