Acessar o conteúdo principal
Moçambique

Moçambique: violência mancha campanha eleitoral

Abdul Carimo, Presidente da Comissão Nacional de Eleições de Moçambique
Abdul Carimo, Presidente da Comissão Nacional de Eleições de Moçambique DR

A escassos dias das eleições gerais de 15 de Outubro em Moçambique, prosseguem cenas de violência, devido à intolerância de militantes dos principais partidos políticos em liça.

Publicidade

Conflitos opondo militantes do partido no poder FRELIMO, da RENAMO e do MDM, nas províncias de Gaza (sul) e Nampula (norte), mancharam o primeiro mês de campanha eleitoral com vistas às eleições presidenciais, legislativas e das assembleias provinciais, agendadas para 15 de Outubro.

As organizações não governamentais (ONG) Liga Moçambicana dos Direitos Humanos, Centro de Integridade Pública, Parlamento Juvenil e o Fórum das Rádios Comunitárias, alertaram esta quinta-feira (2/10) para o possível agravamento da violência no fiim da campanha eleitoral, e denunciaram a fraca actuação dos orgãos eleitorais, partidários e da justiça, face à violência motivada pela intolerância política.

Para tentar acalmar os ânimos e pacificar as mentes, o presidente da Comissão Nacional de Eleições (CNE) Abdul Carimo, avistou-se hoje (2/10) com cerca de cinco dezenas de líderes religiosos de Moçambique, a quem pediu "que usem os próximos dias e momentos, para exortar os crentes no sentido de terem uma participação sã, tranquila, sossegada e nunca se associarem a movimentos, que tentam criar algum distúrbio durante a campanha eleitoral, ou durante o dia da votação e durante o apuramento". 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.