Acessar o conteúdo principal
Angola

Padre Congo denuncia perseguição religiosa em Cabinda

Padre Congo denuncia perseguição religiosa em Cabinda
Padre Congo denuncia perseguição religiosa em Cabinda Cabinda pol77.jpg: CIA, Perry Castaneda Map Collection "Courtesy

Em Cabinda a polícia voltou a entrar em confronto com um grupo de manifestantes ligados à Igreja Católica das Américas, liderada pelo padre Casimiro Congo.

Publicidade

Os primeiros confrontos começaram na sexta-feira quando um grupo de manifestantes afectos à Igreja Católica das Américas liderada pelo padre Casimiro Congo estava a rezar. A polícia chegou e começou a usar da violência como relatou à RFI o padre Congo.

" Estava lá um grupo a rezar...eles violentaram e torturam catequistas, bateram em mulheres, empurraram crianças, pegaram em armas de fogo real e começaram a furar o tecto da construção. E como este povo já esta cansado dessas tiranias todas avançou para o comissariado para dizer da sua justiça"

No sábado a polícia e militares fortemente armados cercou a cidade e deteve um catequista e várias mulheres, que acabaram mais tarde por ser soltas. Uma situação insustentável para o padre Casimiro Congo que denuncia um ambiente de perseguição religiosa.

Nos últimos tempos, várias igrejas, incluindo a Igreja Católica das Américas, receberam notificações da polícia nacional com a orientação de fecharem os templos por não estarem confrme a lei vigente em Angola sobre a liberdade de culto e de religião, no entanto o padre Congo refere que a lei que as autoridades evocam uma lei que está obsoleta.

" Esta lei que eles evocam é de 2004, em 2010 surgiu uma Constituição que torna essa lei obsoleta. Qual é o problema do governo angolano em Cabinda? Cabinda não pode ter nada. E esta igreja não é tão dependente do executivo como está a igreja católica e então para eles é um perigo político. O problema não é a igreja, o problema sou eu."

O padre Casimiro Congo, afastado em 2011 do exercício clerical da Igreja Católica e actualmente sob a ameaça de prisão,  diz que não vai fugir e nem vai fechar as portas da sua igreja.

 

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.