Acessar o conteúdo principal
ANGOLA/PORTUGAL

Crise do preço de petróleo em Angola atinge Portugal

REUTERS/Alex Domanski

A baixa substancial do preço do petróleo tem afectado em larga escala a economia angolana. Milhares de trabalhadores portugueses no sector da construção em Angola poderão ter que regressar ao seu país confrontados com problemas de pagamento dos respectivos vencimentos, numa altura em que as remessas de Angola para Portugal registam também uma quebra acentuada.

Publicidade

Entre Janeiro e Novembro do ano passado as remessas enviadas de Angola para Portugal sofreram uma diminuição de 14,3%, o equivalente a 38,6 milhões de euros, quando comparado com idêntico período de 2013.

Um fenómeno que poderia estar também ligado à redução acentuada do preço do petróleo, principal produto de exportação angolano, facto que tem gerado uma diminuição do investimento público.

Em Outubro do ano transacto o presidente angolano anunciou que a quebra das receitas petrolíferas levaria ao adiamento da meta da construção de 63 000 salas da aulas, inicialmente apontada para três anos.

O sindicato da construção de Portugal estima em 100 000 os trabalhadores portugueses em Angola e denuncia, mesmo, casos de "escravatura moderna" no sector com forte precarização dos efectivos que ali laboram.

De acordo com esse organismo milhares de trabalhadores portugueses poderiam abandonar, desta feita Angola.

João Alberto Sousa Andrade, professor catedrático de economia na Universidade portuguesa de Coimbra, denuncia uma situação extremamente complicada, internamente em Angola, e com repercussões externas, como está a ocorrer com Portugal.

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.