Acessar o conteúdo principal
Moçambique

Páscoa moçambicana em "paz tremida"

Dom Inácio Saure, bispo da diocese de Tete, centro de Moçambique
Dom Inácio Saure, bispo da diocese de Tete, centro de Moçambique DR

Em plena celebração pascal, a Igreja Católica manifesta preocupação com a situação política tensa que ainda se vive em Moçambique. Já o líder da Renamo, Afonso Dhlakama garante que o seu anteprojecto de criação de províncias autónomas não pretende dividir o país.

Publicidade

"A paz continua tremida em Moçambique" afirmou Dom Inácio Saure, o bispo da diocese de Tete, no centro do país, durante as celebrações desta Páscoa.

Estas declarações fazem eco dos receios de que a situação política de deteriore e surgem na sequência dos acontecimentos da última quinta-feira em Guija, na provincia de Gaza, sul de Moçambique, onde se deram confrontos entre tropas governamentais e homens da Renamo.

Entretanto o líder do movimento da perdiz, Afonso Dhlakama, afirmou, durante um comício popular na cidade da Beira, que o anteprojecto apresentado pela Renamo ao hemiciclo moçambicano não pretende dividir mas sim alcançar a autonomia. O chefe do maior partido da oposição disse ainda que acredita que a Frelimo votará a favor deste projecto pois não está "a ver a Frelimo com a cara de pretender confusões"

Os detalhes com o nosso correspondente, Orfeu Lisboa.

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.