Acessar o conteúdo principal
Moçambique

Bancos Centrais da SADC nos 40 anos do Banco de Moçambique

Bandeira da SADC, Comunidade de Desenvolvimento da África austral.
Bandeira da SADC, Comunidade de Desenvolvimento da África austral. Greentubing

Bancos Centrais da SADC, saúdam, existência do Banco Central de Moçambique, que comemorava, este domingo, em Maputo, os seus 40 anos, e mostram-se apostados, na União Monetária e moeda única.

Publicidade

Os Bancos Centrais da SADC, Comunidade de Desenvolvimento da África austral, reunidos, em Maputo, no seu Comité dos Governadores, aproveitaram para saudar, os 40 anos da criação do Banco de Moçambique, assinalados, durante, um Simpósio internacional, sobre a inclusão financeira.

 

"A abordagem da temática, sobre a inclusão financeira e crescimento económico, está, umbilicalmente, associada à educação e protecção do consumidor financeiro, valores essenciais, à sustentabilidade, do cresciemnto e desenvolvimento económico", declarou, no Simpósio internacional,  Ernesto Gove, Governador do Banco Central de Moçambique.

 

Por seu lado, o Ministro  moçambicano da Economia e Finanças, Adriano Maleane, mostrou-se preocupado, com a insuficiência de instrumentos financeiros do Banco Central, apesar, dos grandes avanços conseguidos, desde a sua criação, há 40 anos, que garantam, que os moçambicanos, depositem, com confiança, nos bancos, as suas poupanças, em vez, de as guardar, em casa, quando, não recorrem, a esquemas, menos transparentes.

"Parte significativa das populações, são obrigadas, a manter as suas poupanças, em casa, e/ou, em esquemas informais de poupança, incorrendo, por isso, em riscos diversos, ou na utilização, desses recursos, em despesas, não programadas", sublinhou o Ministro da Economia e Finanças, de Moçambique.

De notar, enfim, que, os Governadores dos Bancos Centrais da SADC, mostraram-se decididos e convictos, de que, a sua Comunidade Desenvolvimento, da África austral, mantém, o compromisso, da entrada em vigor da União Monetária, em 2016, e a Moeda Única, em 2018.

Com a colaboração do nosso correspondente, em Maputo, Orfeu Lisboa.

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.