Acessar o conteúdo principal
Brasil-África

Brasileiro que atravessou a África de bicicleta conta experiência em livro

Áudio 03:53
Alexandre Costa Nascimento passando pelas pirâmides do Egito, um dos 11 países percorridos.
Alexandre Costa Nascimento passando pelas pirâmides do Egito, um dos 11 países percorridos. Divulgação

No livro “Mais que um leão por dia”, o jornalista curitibano Alexandre Costa Nascimento conta as impressões e vivências da sua maior aventura: ele foi o primeiro latino-americano a cruzar o continente africano de bicicleta, numa viagem que durou quatro meses e percorreu 11 países.

Publicidade

Fábia Belém, correspondente RFI Brasil em Moçambique

“É uma paixão que eu tenho desde pequeno pela África. Acho que vem daquela coisa de menino, mesmo, de ler as historinhas do Tintin, aquele jovem repórter aventureiro”, explica o jornalista, que também é o criador do blog Ir e Vir de Bike.

Quando soube do Tour d´Afrique, que reúne ciclistas em longas expedições, Alexandre não teve dúvidas de que a hora da grande viagem sobre duas rodas se aproximava. “Quando eu descobri que existia essa expedição atravessando o continente africano do Cairo até a Cidade do Cabo, vi nessa aventura a possibilidade de juntar essas minhas três paixões: o jornalismo, a África e esse espírito de aventura, de querer conhecer o mundo”.

{{ scope.counterText }}
{{ scope.legend }}© {{ scope.credits }}
{{ scope.counterText }}

{{ scope.legend }}

© {{ scope.credits }}

Alexandre conseguiu, finalmente, fazer a viagem que sonhava desde os tempos de menino. Foi o primeiro latino-americano a atravessar a África de bicicleta, passando por Egito, Sudão, Etiópia, Quênia, Tanzânia, Malawi, Zâmbia, Zimbabwe, Botswana, Namíbia e África do Sul.

No livro “Mais que um leão por dia”, o jornalista conta as impressões e vivências da sua maior aventura. Na expedição, que reuniu 55 ciclistas de diferentes países, ele pedalou 12 mil quilômetros e viu uma África que muitos desconhecem. “Você vê iniciativas que são muito bem-sucedidas no campo econômico, no campo social, projetos que deram certo, projetos de desenvolvimento econômico, de industrialização”, afirma.

Os leões da história

Durante os quatro meses de viagem, não faltaram desafios - os leões da história de Alexandre. “Às vezes, a gente tinha que pedalar 200 quilômetros em um dia. Tinha as questões do clima. A gente chegou a situações de pegar 0°C pela manhã e 40°C no deserto, durante a tarde; tempestade de areia, instabilidade política, imprevisto. A determinação para superar cada pequeno desafio, cada “leão” que aparecia na nossa frente, durante o dia, na verdade, era o grande segredo”.

Alexandre se impressionou com as belezas naturais da África, e destaca os momentos em que foi possível interagir com as pessoas que encontrou pelo caminho. “De parar na estrada e oferecer a minha bicicleta pra uma criança; de poder jogar futebol com crianças no interior da Tanzânia; tomar banho no rio Nilo, por exemplo; parar em vilas e conhecer a população, conversar e trocar experiências”, lembra.

Alexandre Costa Nascimento continua a lançar “Mais que um leão por dia” em cidades brasileiras. Parte do dinheiro da venda do livro será destinada à Fundação Tour d’Afrique, para a compra e distribuição de bicicletas a projetos sociais dos países pelos quais o jornalista passou. Depois da viagem, “o mundo parece que não é mais tão grande”, diz o jovem repórter aventureiro.

Divulgação

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.