Acessar o conteúdo principal
Argentina/História

Argentina descobre arquivo secreto da ditadura militar

Manifestação das Mães da Praça de Maio, 18 de fevereiro de 2009
Manifestação das Mães da Praça de Maio, 18 de fevereiro de 2009 Creative Commons

O governo da Argentina anunciou na segunda-feira, 4 de novembro de 2013, ter encontrado novos documentos da época da ditadura militar (1976-1983), incluindo atas secretas da junta militar. O anuncio foi feito pele ministro da Defesa, Agustín Rossi.

Publicidade

O ministro da Defesa argentino, Agustín Rossi, disse que os documentos foram encontrados acidentalmente na quinta-feira passada durante a limpeza no edifício Condor, em Buenos Aires, onde funcionam dependências da Força Aérea argentina. A documentação inclui seis pastas originais das atas da junta militar, todas secretas, datadas de 24 de março de 1976 até 10 de dezembro de 1983. Os documentos estavam agrupados em 1.500 pastas guardadas dentro de duas caixas fortes e dois armários do centro militar.

O ministro da Defesa destacou que é a primeira vez que se tem acesso a material deste tipo, que cobre desde o dia do golpe militar até o dia em que a Argentina retornou à democracia, há trinta anos. Segundo Rossi, a documentação conta com a "vantagem" de estar "ordenada, classificada e até ter um índice temático".

Também foram encontrados pedidos escritos por famílias argentinas aos militares, solicitando informações do paradeiro de seus filhos desaparecidos. Outro grupo de documentos traz "listas negras" de 331 perseguidos políticos, que incluíam intelectuais, comunicadores e artistas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.