Acessar o conteúdo principal
Estados Unidos/Barack Obama

'Selfie' de Obama na homenagem a Mandela foi mal interpretado, diz fotógrafo

A foto que provocou polêmica nas redes sociais
A foto que provocou polêmica nas redes sociais AFP PHOTO / ROBERTO SCHMIDT

A imagem descontraída do presidente americano posando para uma foto ao lado do premiê britânico David Cameron e a premiê dinarmaquesa no funeral de Mandela gerou indignação nas redes sociais e ilustrou a capa de jornais do mundo todo. Mas o que pensa o fotógrafo que imortalizou a cena?

Publicidade

A homenagem a Mandela, nesta terça-feira no Soccer City em Soweto, reuniu dezenas de chefes de estado do mundo todo, que viajaram à África do Sul para dar o último adeus ao líder. Um dos momentos mais importantes foi o discurso do presidente americano Barack Obama – considerado o mais oportuno e emocionante, por unanimidade.

Logo depois de deixar a tribuna, Obama sentou-se ao lado da premiê dinamarquesa Helle Thorning-Schmidt e do premiê David Cameron. Até aí, nada demais.

Foi quando o fotógrafo da AFP, Roberto Smith, enviado para cobrir o funeral ao lado de um batalhão de repórteres, percebeu que os três líderes posavam para o celular da primeira-ministra dinamarquesa, naquele que se tornaria em um dos ‘selfies’ (autorretratos digitais) mais famosos da história das redes sociais.

Na imagem que correu o mundo, a primeira-dama Michelle Obama está olhando séria para o trio. Bastou a foto ser publicada para que mil interpretações surgissem a respeito da cena, das mais comedidas às mais indignadas.

Na versão dos internautas e de muitos jornalistas, Michelle estaria ‘’enciumada’’ com a foto do marido e da líder dinamarquesa, e teria desaprovado o comportamento inconveniente de Obama no funeral do ex-líder do Apartheid.

Tudo não passa, aparentemente, de um mal-entendido, como explicou o próprio fotógrafo da AFP, Roberto Schmidt, em seu blog na agência.

Segundo ele, em nenhum momento houve a intenção de criar uma saia-justa para o presidente, que ria como se estivesse em uma festa, apesar de estar presente em um funeral. Na verdade, ele estava na mesma sintonia da multidão que lotava o Soccer City na tarde chuvosa desta terça-feira.

‘’À minha volta, no estádio, os sul-africanos dançam, cantam, e riem para homenagear seu líder que acaba de morrer. A atmosfera é de festa, não de recolhimento’’, explica o fotógrafo em seu blog.

De acordo com o fotógrafo, o clima é de descontração. "O que vejo através da minha lente não é chocante, presidente dos Estados Unidos ou não. Estamos na África", diz Schmidt.

O suposto desagrado de Michelle Obama também não passa de um delírio semântico coletivo, diz o fotógrafo. "Eu li mais tarde nas redes sociais que a esposa do presidente estaria ‘contrariada’ ao ver a primeira-ministra dinamarquesa tirar a foto com seu marido e o premiê. Mas as fotos podem mentir. Na realidade, alguns segundos antes ela estava rindo com eles ! O ar sério é fruto do acaso", continuou o fotógrafo.

Para Schmidt, se os profissionais da comunicação não controlassem tanto a imagem dos chefes de estado, e permitissem fotógrafos e jornalistas de os enxergarem como 'seres humanos', a imagem não teria tido tanta repercussão. "Assumo que isso me deixa triste, porque vejo que nossa atenção está voltada para os aspectos mais triviais do cotidiano, em vez das coisas essenciais."
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.