Acessar o conteúdo principal
Clima/Protestos

Marchas contra as mudanças climáticas reúnem milhares de pessoas em todo o mundo

Marcha contra as mudanças climáticas reuniu milhares de pessoas nas ruas de Nova York, neste domingo (21).
Marcha contra as mudanças climáticas reuniu milhares de pessoas nas ruas de Nova York, neste domingo (21). Reuters

Manifestações a favor da luta contra as mudanças climáticas reuniram milhares de pessoas em vários países do mundo, neste domingo (21). A maior marcha aconteceu em Nova York, com a participação de mais de 300 mil pessoas, segundo os organizadores. A cidade vai sediar na próxima terça-feira (23) a Cúpula do Clima, organizada pela ONU. Em Paris, a mobilização contra as mudanças climáticas reuniu mais de cinco mil pessoas.

Publicidade

Luisa Leme, correspondente da RFI em Nova York

O domingo nublado e abafado em Nova York foi cenário apropriado para se falar de aquecimento global. A Mobilização Climática dos Povos, uma marcha organizada na cidade e em outros 150 países para chamar atenção de líderes internacionais durante a semana da Conferência do Clima nas Nações Unidas, está sendo considerada o maior protesto sobre meio ambiente da história.

O movimento 350, que uniu vários setores da sociedade civil, grupos indígenas e ativistas, esperava a participação de mais de 100 mil pessoas na marcha pelo lado Oeste de Manhattan, neste domingo (21). O objetivo era superar a marca de 40 mil pessoas do maior protesto sobre o clima nos Estados Unidos que aconteceu em fevereiro de 2013 em Washington DC. Mas os 26 quarteirões reservados pela polícia de Nova York para a concentração não foram suficientes: mais de uma hora após o começo da manifestação, grupos ainda esperavam para começar a caminhar.

A organização estima que mais de 310 mil pessoas desfilaram pelas ruas da cidade para pedir medidas drásticas dos líderes internacionais em relação ao meio ambiente. Orientações aos participantes chegaram via mensagem de texto e pediram para as pessoas que ainda marchavam por volta das três horas da tarde para se dispersarem mesmo antes de chegarem ao destino final do protesto, na esquina da rua 42 com a 11ª Avenida.

A marcha foi diversa, com grupos que viajaram dos 50 estados americanos e pessoas de várias idades, nacionalidades e afiliações políticas. Políticos e personalidades como o ex-presidente americano Al Gore e o ator Leonardo di Caprio se juntaram à população.

Manifestações nos quatro cantos do mundo

A marcha contou com mais de 2600 eventos de apoio em 156 países, se multiplicando em cidades como Londres (40 mil pessoas), Roma, Rio de Janeiro, e Melbourne, na Austrália (30 mil pessoas, segundo o movimento 350). A organização Avaaz também informou que mais de 2 milhões de pessoas em todo o mundo assinaram uma petição pedindo aos líderes que se encontram na ONU na terça-feira tomem ações ousadas em relação ao clima.

Às 12 horas e 58 minutos no horário de Nova York (13h58 em Brasília), os manifestantes fizeram um momento de silêncio pelas vítimas do aquecimento global ao redor do mundo, seguido de um grande barulho de bandas, tambores, cornetas, palmas, e apitos de celulares - para chamar atenção para a crise climática. A mensagem do evento foi diversa, mas participantes focaram em medidas drásticas que países podem tomar em relação à crise climática, com o tema “Ações, não Palavras”.

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.