Acessar o conteúdo principal
Obama/EUA

Em entrevista, Obama diz racismo nos EUA não vai acabar “do dia para noite”

Captura vídeo da entrevista de Barack Obama a Black Entertainment Television (BET)
Captura vídeo da entrevista de Barack Obama a Black Entertainment Television (BET) Reprodução de vídeo/BET

Enquanto manifestantes em vários pontos dos EUA continuam a fazer protestos contra cidadãos negros que foram mortos por policiais brancos, o presidente Barack Obama deu uma entrevista nesta segunda-feira (8) à noite à rede de televisão dedicada ao público afroamericano Black Entertainament Television. Na conversa, Obama falou sobre o problema do racismo no seu país.

Publicidade

Por 30 minutos, Barack Obama explicou quais são as medidas que o governo americano vai tomar para tentar melhorar o controle da criminalidade nos EUA. O presidente norte-americano informou que, em 90 dias, uma força-tarefa vai apresentar uma série de propostas sobre como melhorar o treinamento dos policiais e equipá-los de maneira mais adequada. O objetivo é coibir os excessos de violência policial. “Vamos fornecer mais fundos para quem está fazendo a coisa certa e vamos investigar quem não estiver fazendo a coisa certa”, disse Obama.

O presidente americano também prometeu lutar com todas as suas forças para que todos os jovens sejam tratados da mesma maneira pelos policiais, sejam eles brancos, negros ou latinos. Mas ele avaliou que a erradicação do racismo no seu país só vai acontecer de modo “progressivo”.

Obama também reconheceu a importância dasmanifestações como forma de pressão legítima para melhorar a relação entre a sociedade, a polícia e a Justiça. “Protestos pacíficos são necessários, mas quando se tornam violentos, são contraproducentes”, avaliou.

O presidennte norte-americano também insistiu que os Estados Unidos precisam defender a igualdade de direitos para todos os seus cidadãos. “Nosso país é melhor quando todas as pessoas são tratadas com justiça. É importante que as pessoas sintam que estão sendo tratadas com justiça. Quando elas não acreditam nisso, as consequências podem ser fatais”, advertiu Obama.

O presidente dos EUA, porém, foi realista. “Isso [o racismo] não vai ser resolvido do dia para a noite. Isso é algo que está profundamente arraigado na nossa sociedade e na nossa história”.

Futuro melhor para os seus netos

Barack Obama argumentou que a vida dos afroamericanos melhorou muito nas últimas décadas. Nos seus seis anos de mandato, Obama disse que houve progressos em relação às denúncias de racismo na ação policial. Ele destacou, sobretudo, o emprego crescente da gravação de interrogatórios. “Isso protege o policial e o acusado”.

Ao final da entrevista, falando como "homem e não como presidente", Obama disse esperar que, no futuro, seus netos sejam “tratados com qualquer outra pessoa. E que não sejam, constantemente submetidos ao preconceito racial”.

 

 

 

 

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.