Acessar o conteúdo principal
EUA/Cuba

Barack Obama anuncia "novo capítulo" nas relações diplomáticas com Cuba

O presidente americano Barack Obama fala sobre a normalização das relações com os Estados Unidos
O presidente americano Barack Obama fala sobre a normalização das relações com os Estados Unidos REUTERS/Doug Mills/Pool

O presidente Barack Obama anunciou nesta quarta-feira (17) em um discurso transmitido pela TV a abertura de um "novo capítulo" nas relações diplomáticas com Cuba, e prometeu examinar junto ao Congresso americano o fim do embargo imposto há 50 anos pelos Estados Unidos. "O isolamento de Cuba não deu certo", disse o chefe de Estado americano na Casa Branca.

Publicidade

Obama anunciou que os Estados Unidos tomariam medidas históricas para normalizar as relações diplomáticas com Cuba e virar a página de "uma visão ultrapassada" da política americana em relação ao governo de Havana. Ele também reconheceu que a estratégia "rígida" aplicada por Washington à Cuba nos últimos anos teve pouco impacto. O presidente americano ainda pediu ao secretário de Estado americano John Kerry que iniciasse imediatamente as discussões com os cubanos para restabelecer as relações diplomáticas, interrompidas em 1961.

O presidente também confirmou que os Estados Unidos abrirão uma embaixada em Havana nos próximos meses e realizarão trocas e visitas de alto nível entre os dois governos, para selar a "normalização das relações", de acordo com um comunicado divulgado pela Casa Branca."Um futuro de paz, segurança e desenvolvimento democrático é possível, se trabalharmos juntos", declarou.

Embargo será discutido no Congresso americano

O texto distribuído à imprensa no momento do discurso também reconhece que as décadas de isolamento impostos à ilha pelos Estados Unidos não favoreceram a emergência de uma Cuba "democrática, próspera e estável." Ele ainda acrescentou que discutirá com o Congresso a questão do embargo contra a ilha, que o presidente Raul Castro lembrou que ainda é preciso ser negociada. Os dois já haviam conversado pelo telefone mais cedo.

O presidente americano lembrou que o Canadá teve um papel decisivo nas discussões entre os dois países. Já o cubano Raul Castro elogiou o apoio dado pelas autoridades canadenses e o Vaticano na reaproximação. O papa Francisco prometeu que a igreja continuará a apoiar o reforço das relações bilaterais entre Estados Unidos e Cuba. Ele enviou duas cartas aos presidentes dizendo estar "satisfeito com a decisão histórica dos dois governos de superar as dificuldades que marcaram a história recente das duas nações."

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.