Acessar o conteúdo principal
EUA/Cuba

EUA retiram Cuba da lista de países que apoiam terrorismo

Aperto de mão simbólico dos presidentes de Cuba, Raul Castro, e dos Estados Unidos, Barack Obama, na cúpula das Américas em abril, confirma a aproximação entre os dois países.
Aperto de mão simbólico dos presidentes de Cuba, Raul Castro, e dos Estados Unidos, Barack Obama, na cúpula das Américas em abril, confirma a aproximação entre os dois países. REUTERS/Jonathan Ernst

O governo norte-americano anunciou nesta sexta-feira (29) que retira Cuba da lista dos países que patrocinam o terrorismo. A decisão é vista como um passo fundamental no processo de restabelecimento das relações diplomáticas entre Washington e Havana.

Publicidade

Desde o histórico anúncio de 17 de dezembro sobre o inicio de uma reaproximação entre os Estados Unidos e Cuba, a permanência dos cubanos na polêmico lista havia se tornado um obstáculo no desbloqueio das relações entre os dois países. Porém, segundo o departamento de Estado norte-americano, mesmo se Washington tem "preocupações e divergências significativas" com a ilha comunista, elas não justificariam a permanência de Havana no grupo.

Cuba estava na lista, da qual também fazem parte Irã, Sudão e Síria, desde 1982. O departamento da Estado norte-americano havia incluído os cubanos argumentando que Havana apoiava o grupo separatista basco ETA e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Com a decisão de Washington, Cuba se livra de um pacote sanções estabelecidas pelo Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros, ligado ao Departamento do Tesouro dos Estados Unidos. Teoricamente, a medida suspende a interdição sobre ajuda econômica a venda de armas, mas as restrições ligadas ao embargo, imposto há cinco décadas, são mantidas por enquanto.

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.