Acessar o conteúdo principal
massacre/armas

Dylann Roof é formalmente acusado de matar nove pessoas em Charleston

Dylann Roof, 21 anos, confessou ter matado nove pessoas em uma igreja de Charleston.
Dylann Roof, 21 anos, confessou ter matado nove pessoas em uma igreja de Charleston. REUTERS/Jason Miczek

O jovem de 21 anos que confessou à polícia ser o autor do pior massacre racista nos Estados Unidos em décadas, foi acusado formalmente nesta sexta-feira (18) pelo assassinato de nove pessoas, anunciou a polícia de Charleston (sudeste dos Estados Unidos). Dylann Roof abateu as vítimas em uma igreja da comunidade negra de Charleston (Carolina do Sul) na noite de quarta-feira (17) e foi preso pela polícia no dia seguinte, na Carolina do Norte.

Publicidade

A polícia de Charleston anunciou no Twitter que Roof vai comparecer a uma audiência às 14h locais (15h de Brasília). Ele foi acusado pelos assassinatos, assim como pela posse de uma arma de fogo durante um crime violento.

Segunda a imprensa americana, o rapaz teria confessado todos seus crimes e revelado aos investigadores que ele "queria começar uma guerra racial" quando foi até a igreja Emanuel e abriu fogo contra um grupo de estudos da Bíblia.

Ódio

"Até o momento, estamos conseguindo cooperação", afirmou outra fonte à afiliada local da ABC, a WCIV. Duas fontes também confirmaram à NBC News que Roof confessou ser o autor da morte de nove negros.

A governadora da Carolina do Sul, Nikki Haley, afirmou nesta sexta acreditar que, se condenado, Roof pode pegar a pena de morte, que é legalizada no Estado. "Esse é com toda certeza um crime de ódio", afirmou ao programa "Today", da NBC. "Nós queremos que ele enfrente a pena de morte", acrescentou.
 

(com informações da AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.