Acessar o conteúdo principal
México/ transporte

México aplica taxa nas corridas feitas pelo aplicativo Uber

A Cidade do México é uma das primeiras a adotar regras para o funcionamento do aplicativo Uber.
A Cidade do México é uma das primeiras a adotar regras para o funcionamento do aplicativo Uber. AFP PHOTO/ QUIQUE GARCIA

A Cidade do México passou a aplicar uma taxa de 1,5% em cada corrida realizada através dos aplicativos Uber e Cabify. O dinheiro será recolhido pela prefeitura e destinado a melhorar o serviço de táxis na capital mexicana, segundo o governo municipal.  

Publicidade

As novas regras foram publicadas no diário oficial municipal, depois de semanas de polêmicas sobre o serviço no país. Os taxistas alegam que os aplicativos representam concorrência desleal com os táxis regulamentados.

A prefeitura da capital mexicana estabeleceu novas diretrizes para os motoristas que querem oferecer o serviço informal: os carros devem valer pelo menos 200 mil pesos (R$ 36 mil), ter quatro portas, ar condicionado, cintos de segurança e airbags. Os pagamentos das corridas não podem ser feitos em espécie – uma condição já aplicada pelo próprio Uber.

Taxistas planejam “reação”

Os taxistas mexicanos, entretanto, não ficaram satisfeitos. Eles acham que o pacote de medidas é insuficiente. O presidente de uma associação de taxistas da capital, Ruben Alcantara, anunciou que a categoria vai se reunir para preparar uma resposta “à afronta” do governo. Em maio, uma grande manifestação foi organizada para protestar contra o aplicativo americano.

“Não é possível que estrangeiros venham aqui, enganem a prefeitura e essa desordem continue”, afirmou, ressaltando que as novas regras são diferentes das que haviam sido debatidas entre os taxistas e o governo.

Uber parabeniza regras “modernas”

Já o Uber recebeu bem as mudanças. Em seu site, a empresa disse que “a megalópole de Cidade do México entra na história”.

A companhia declarou que a regulamentação é “moderna, voltada para o futuro” e adaptada ao modelo de negócios do aplicativo, atendendo ao princípio da oferta e da demanda e deixando o “cidadão escolher como ele quer se transportar na sua cidade”.

O Uber e o Cabify – um aplicativo semelhante – têm provocado vivas polêmicas em praticamente todos os países onde se instalam. Na França, a pressão foi tanta que o serviço UberPOP foi suspenso. Dois dos dirigentes da empresa estão sendo processados no país.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.