Acessar o conteúdo principal
Papa/cuba

Papa Francisco a caminho de visita histórica a Cuba

Papa embarca para cuba
Papa embarca para cuba REUTERS/Giampiero Sposito

Os ritmos tipicamente cubanos vão se encontrar com a música sacra durante a missa do papa Francisco na famosa e polêmica Praça da Revolução, neste domingo (20). No lugar onde ficam as imagens de Che Guevara e Camilo Cinfuegos, vê-se agora, ao lado, uma grande imagem com o rosto de Cristo com a mensagem em espanhol “Venha A Mim!”. Há 20 anos, uma situação como essa seria inimaginável em Cuba tomada pelos efeitos do comunismo e as medidas contra a expressão religiosa.

Publicidade

De Cuba, reportagem especial de Richard Furst

Muitos cubanos admiram Francisco pela fé, mas também pelo papel-chave que ele desempenhou nos contatos secretos que levaram à histórica aproximação entre os Estados Unidos e Cuba. A Igreja Católica enfrentou momentos de tensão durante os primeiros anos do Estado comunista, mas as divergências se amenizaram com a visita de João Paulo II, em 1998, e de Bento 16, em 2012.

O maestro Jose Antonio Mendez, de 30 anos, se diz sem religião e vai reger a orquestra na primeira das três missas de Francisco em solo cubano. Ele destaca a importância de um evento como este em plena Cuba em transformação e abertura. “É uma honra e privilegio muito grande para mim fazer parte deste momento muito importante e para o meu país e para o mundo.”, diz. “Cada um deve colocar um grãozinho de areia para uma mudança e é bom ver tantos jovens, tantas vozes, no coro”, acrescenta.

Direitos humanos

Em Cuba, uma das principais mensagens do Papa será a reconciliação, um tema que repercute na ilha, onde segundo grupos de direitos humanos, mais de 140 dissidentes ainda estão presos. Em quatro dias de visita Francisco rezará missas também nas cidades de Holguim e Santiago. Vai se reunir com o presidente Raúl Castro e com jovens e deverá ter um compromisso que não está na agenda oficial: um encontro com o ex-presidente Fidel Castro.

Corredores entre o aeroporto e o centro de havana estão decorados com bandeiras nas cores do Vaticano e de Cuba, lado a lado. Muitas avenidas do centro da capital receberam uma camada de asfalto para a rápida passagem do Papa.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.