Acessar o conteúdo principal
Polêmica/Estados Unidos

Trump diz que o mundo seria melhor com Saddam Hussein e Kadafi

O bilionário Donald Trump, célebre por suas declarações polêmicas, lidera as sondagens das primárias republicanas para 2016.
O bilionário Donald Trump, célebre por suas declarações polêmicas, lidera as sondagens das primárias republicanas para 2016. REUTERS/Daron Dean

"Não há dúvidas", disse o republicano Donald Trump, ao responder a uma pergunta de de um jornalista da rede de televisão CNN. Para o bilionário norte-americano, o mundo seria absolutamente melhor se os ex-ditadores do Iraque, Saddam Hussein, e da Líbia, Muammar Kadafi, estivessem vivos e no poder.

Publicidade

"Olhe a Líbia. Olhe o Iraque. Antes não havia terroristas no Iraque. Ele [Saddam Hussein] os matava imediatamente. O país se tornou a universidade do terrorismo", disse Trump em uma entrevista veiculada pela televisão norte-americana neste domingo (25).

Saddam Hussein e Muammar Kadafi foram mortos respectivamente em 2003 e 2011 durante intervenções militares coordenadas pelos Estados Unidos no Iraque e na Líbia.

"Francamente, agora não existe mais Iraque, nem Líbia. Eles foram para os ares. Não há mais nenhum controle. Ninguém sabe o que acontece lá", reiterou Trump, que lidera as sondagens das primárias republicanas para 2016.

O pré-candidato disse acreditar que o Oriente Médio retrocedeu à época Idade Média, praticando "butalidades inéditas há milhares de anos". "As pessoas são decapitadas, são jogadas na água dentro de jaulas para morrer afogadas", completou.

Para Trump, sua "doutrina" é simples: "a força", declarou. "É por isso que eu quero reforçar o exército. Precisamos muito mais de militares agora do que no passado", disse, antes de alfinetar o presidente Barack Obama e a ex-secretária de Estado do país, Hillary Clinton. "A Líbia é uma catástrofe. O Iraque é uma catástrofe. A Síria é uma catástrofe. Todo o Oriente Médio foi destruído com Hillary Clinton e Obama."

"Levar o petróleo"

O magnata considera que os Estados Unidos nunca deveriam ter retirado suas forças do Iraque sem "ter levado o petróleo". "Agora sabemos quem tem o petróleo e é a China que o compra", disse. "O petróleo vai para o grupo Estado Islâmico, o petróleo vai para o Irã e o Irã vai acabar ficando com a maior parte do produto. E o grupo Estado Islâmico também. Eles têm muito dinheiro porque eles têm muito petróleo e porque nós somos estúpidos", concluiu.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.