Acessar o conteúdo principal
Escândalo/Volkswagen

Porsche é envolvida no escândalo dos motores fraudados da Volkswagen

Porsche Cayenne é um dos modelos que também pode ter em seu motor o software que manipula dados da emissão de poluentes.
Porsche Cayenne é um dos modelos que também pode ter em seu motor o software que manipula dados da emissão de poluentes. REUTERS/Denis Balibouse

A Agência Ambiental Americana (EPA) afirmou nesta segunda-feira (2) ter provas de que o software que manipula dados da emissão de poluentes foi instalado nos motores a diesel V6 de três litros de cilindrada de pelo menos dez mil carros, entre eles, cinco modelos da Audi e um da Porsche, vendidos nos Estados Unidos. A denúncia resultou na queda de mais de 4% nas ações da montadora alemã na Bolsa de Frankfurt na manhã desta terça-feira (3).

Publicidade

"A VW não cumpriu novamente com suas obrigações de se ajustar às leis que protegem a qualidade do ar respirado pelos americanos", diz o comunicado da EPA.

Os motores teriam emitido nove vezes mais óxido de nitrogênio (NOx) do que o permitido pelas normas americanas. A substância é responsável por graves doenças respiratórias.

A montadora alemã, entretanto, desmentiu a existência do software fraudado. "A Volkswagen ressalta que nenhum programa foi instalado em seus diesel três litros V6 para modificar de maneira inapropriada os controles de poluição", afirmou em comunicado.

Provas "flagrantes"

Até agora, as investigações se concentravam nos motores de dois litros de cilindrada em automóveis de médio porte: VW Jetta, Jetta Sportwagen, Beetle, Audi A3, Golf e Passat, modelos de 2009 a 2015. Mas, de acordo com a nova denúncia da EPA, os dispositivos também foram instalados em motores de três litros de cilindrada dos modelos Audi A6, A7, A8, Q5 e Porsche Cayenne, assim como nos Volkswagen Touareg, em modelos de 2014 até 2016.

"Temos provas flagrantes de violações às normas", acrescentou Cynthia Giles, da EPA, em uma teleconferência. Ela garantiu que as investigações continuam.

A EPA também reclama que, até o momento, ainda não houve um recall formal dos automóveis dos modelos implicados."Temos que garantir que as medidas tomadas pela empresa para consertar seus automóveis serão apropriadas", afirmou Janet McCabe, funcionária da agência.

Porsche se diz "surpresa"

Pela primeira vez associada ao escândalo, a Porsche se declarou "surpresa" pelas acusações. Até então o escândalo dos motores fraudulentos envolveram carros de médio porte do grupo Volkswagen como Beetle, Golf e Passat, e não incriminaram outras fabricantes até agora.

O escândalo dos motores adulterados da Volkswagen foi revelado em setembro, quando a empresa admitiu ter instalado nos motores de 11 milhões de veículos diesel um programa informático para alterar os resultados dos testes de poluição.

Queda na Bolsa

As ações da Volkswagen caíram mais de 4% na Bolsa de Frankfurt nesta manhã. Desde que o escândalo veio à tona, no dia 18 de setembro, os títulos da empresa alemã perderam cerca de um terço de seu valor. Os maus resultados, no entanto, não são novidade. Desde o início do ano, as ações da Volkswagen tiveram uma queda de cerca de 41%, depois de perderem 9,6% em 2014.

(Com informações da AFP)

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.