Acessar o conteúdo principal
Guatemala / Jimmy Morales

Comediante Jimmy Morales toma posse como presidente da Guatemala

Jimmy Morales toma posse hoje
Jimmy Morales toma posse hoje Reuters

Jimmy Morales assumirá como presidente da Guatemala nesta quinta-feira (14) com um amplo apoio da população cansada dos políticos tradicionais e que encontrou no multifacetado comediante um antídoto contra a corrupção que vigora no país. O ator de 46 anos, que exercerá a presidência durante o período 2016-2020, chega ao governo quase sem experiência política.

Publicidade

Sua única incursão anterior foi em 2011, quando disputou a prefeitura do município de Mixco, e ficou em terceiro lugar. Com uma ampla vantagem sobre sua oponente - a ex-primeira-dama socialdemocrata Sandra Torres -, Morales foi eleito em 25 de outubro por uma população cansada dos políticos tradicionais.

"Há muita expectativa diante da necessidade de promover mudanças no país e solucionar os problemas que se tem. Jimmy Morales está assumindo em um contexto cheio de expectativa, de esperança e de demandas que se espera que sejam atendidas", disse o analista político José Carlos Sanabria, da Associação de Pesquisas e Estudos Sociais.

Ainda sem ter conseguido superar os problemas sociais que detonaram a sangrenta guerra civil (1960-1996) e sem controlar a corrupção e a violência associada às gangues e ao tráfico de drogas, a Guatemala entrou em uma severa crise em abril do ano passado, quando se revelou uma fraude milionária no sistema nacional alfandegário. O escândalo levou milhares às ruas para protestar.

Liderada pela procuradoria e pela Comissão Internacional contra a Impunidade na Guatemala (CICIG), uma entidade ligada à ONU, a investigação levou Pérez e sua então vice-presidente Roxana Baldetti a deixarem seus cargos para enfrentar a Justiça. Ambos são acusados de liderar uma rede que cobrava propina de empresários para sonegar impostos.

A insatisfação popular com a "velha política", como chamou Morales, deu-lhe o benefício da dúvida nas urnas. Agora, ele terá de pôr em prática seu compromisso de combater a corrupção, reduzir a pobreza que afeta 59,3% dos 16 milhões de guatemaltecos, principalmente nos povoados indígenas, e diminuir a violência que se materializa em uma taxa de 35,4 homicídios a cada 100 mil habitantes. Este é um dos mais altos índices da região.

Cartas na manga

Morales mantém a composição de seu gabinete de governo em segredo e deve anunciá-lo a poucas horas de sua posse. Para Sanabria, essa é uma de suas "principais fraquezas".

"Isso alimenta dúvidas, ceticismo e críticas em relação a Jimmy Morales, que, em alguma medida, também desperdiçou o importante processo de transição", acrescentou o analista.

O presidente de transição e ex-magistrado da Corte de Constitucionalidade, Alejandro Maldonado, que substituiu Pérez após sua renúncia em setembro, disse à imprensa que um dos principais desafios do novo governante é trabalhar pela transparência no país.

Morales conquistou fama há 15 anos com o programa humorístico "Moralejas", coproduzido com seu irmão Sammy para a televisão. Um de seus principais personagens foi Neto, protagonista de um filme de 2007. Na produção, esse vaqueiro ingênuo do leste do país fica a um passo de ganhar a presidência, mas desiste no último momento para pedir aos eleitores que reflitam antes de elegerem suas autoridades.

Poucos convidados

Morales receberá a faixa presidencial na tarde de quinta-feira, durante uma cerimônia no Teatro Nacional, no centro histórico da Cidade da Guatemala.

Segundo o Ministério guatemalteco das Relações Exteriores, por instrução de Morales e por restrições orçamentárias, reduziu-se a quantidade de convidados para a posse. Até agora, confirmaram presença o rei emérito da Espanha, Juan Carlos, e o vice-presidente americano, Joe Biden.

Também participam o presidente do México, Enrique Peña Nieto; do Equador, Rafael Correa; e dos países da América Central. A única exceção é a Nicarágua, que será representada pelo vice-presidente Omar Halleslevens. Em seguida, acontece uma cerimônia católica na Catedral Metropolitana e, na sexta-feira, um serviço evangélico, religião de Morales.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.