Acessar o conteúdo principal
Linha Direta

Vitória de Sanders e Trump em Nova Hampshire embaralha corrida presidencial

Áudio 04:53
Bernie Sanders e Donald Trump
Bernie Sanders e Donald Trump REUTERS/Dominick Reuter et Brian Snyder

Bernie Sanders e Donald Trump foram os grandes vitoriosos da votação de ontem nas primárias presidenciais em Nova Hampshire, o segundo estado a ir às urnas na luta pela sucessão de Barack Obama. Em uma prova de como a disputa de fato esquentou, os eleitores do estado localizado no nordeste dos EUA não ligaram para o tempo ruim e enfrentaram a neve para comparecerem em peso nas sessões eleitorais.

Publicidade

Eduardo Graça, correspondente da RFI em Nova York

Bernie e Trump já apareciam à frente nas pesquisas, mas as vantagens que abriram foram para lá de convincentes. Bernie teve 60% dos votos dos democratas, contra 38% de Hillary Clinton, uma vitória que a campanha da ex-primeira-dama queria evitar a todo custo. Até mesmo entre as eleitoras, a derrota de Hillary foi acachapante: 60% das mulheres de Nova Hampshire com menos de 30 anos preferiram Bernie e, entre todo eleitorado feminino, o socialista venceu com 7% de vantagem.

Já Trump, em um confronto com outros oito candidatos, conseguiu 35% dos votos dos republicanos. Bernie e Trump são candidatos opostos ideologicamente, mas também têm seus pontos em comum. Além das mensagens populistas, os dois são candidatos quase à revelia de seus partidos.

Governadores, senadores e deputados democratas apoiam em peso Hillary. Trump, por sua vez, jamais teve cargo eletivo e é visto pelos políticos da oposição como o possível arauto, por conta de suas posições excêntricas, de um desastre de âmbito nacional para o Partido Republicano nas eleições de novembro, quando, além do presidente, também serão eleitos deputados federais e estaduais e uma parte expressiva do Senado.

Primárias embaralhadas

Hillary ainda é a favorita entre os democratas e pode recuperar terreno nas duas próximas primárias, em Nevada e na Carolina do Sul, em que aparece como favorita. É que em Nova Hampshire os participando pela primeira vez do processo eleitoral, ao lado de Bernie em seu discurso de vitória ontem. Já nos próximos dois estados só votam filiados ao Partido Democrata. Em Nevada vale muito o voto dos latinos e na Carolina do Sul o dos negros, duas parcelas do eleitorado democrata consideradas fortalezas de Hillary.

Mas Bernie, em seu discurso, disse que “a revolução política” por ele proposta já começou. Para mostrar que não está de brincadeira, e com um olho na Carolina do Sul, ele passa o dia hoje em Nova York, no Harlem, ao lado do reverendo Al Sharpton, uma das principais lideranças afro-americanas dos EUA.

Lado republicano

A vitória de Trump o colocou de volta na liderança entre os republicanos, já que aparece bem à frente nas pesquisas na Carolina do Sul. O senador ultraconservador Ted Cruz foi bem em Nova Hampshire, um estado com poucos evangélicos, embolado em terceiro lugar com pouco mais de 10% dos votos ao lado do senador Marco Rubio e do ex-governador Jeb Bush.

Em segundo lugar, e portanto de volta à disputa, apareceu o governador de Ohio, John Kasich. Rubio, que parecia estar se firmando como o candidato capaz de unir o partido, depois de um desempenho sofrível no mais recente debate republicano, teve muito menos votos do que o esperado. Mas os grandes derrotados da noite no lado da oposição foram o governador de Nova Jérsei, Chris Christie, a executiva Carly Fiorina e o cirurgião Ben Carson, que devem anunciar o fim de suas campanhas nos próximos dias.

Hillary busca eleitorado jovem

Hillary, em seu discurso reconhecendo a derrota para Bernie, disse que ‘precisa trabalhar mais o eleitorado jovem’ e seus aliados já dizem publicamente que Bernie ganhou fôlego extra ontem. O senador socialista comemorou o fato de ter recebido doações de campanha de mais de 3 milhões de cidadãos, em sua grande maioria lhe dando US$ 27 por pessoa, prova de que estaria criando um impressionante movimento de massas.

Entre os republicanos, já há especialistas e cardeais do partido com medo de uma convenção disputadíssima em Cleveland, em julho, com Trump, Cruz, Rubio, Kasich e Bush disputando a indicação voto a voto. A próxima parada do calendário eleitoral americano é o cáucus democrata em Nevada e a primária republicana da Carolina do Sul marcados para o sábado, 20 de fevereiro.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.