Acessar o conteúdo principal
México

Papa Francisco pede que bispos enfrentem narcotráfico no México

Multidão acompanha papa Francisco durante primeiro dia de visita no México.
Multidão acompanha papa Francisco durante primeiro dia de visita no México. REUTERS/Max Rossi

O papa Francisco convocou os bispos do México, neste sábado (13), a enfrentarem o tráfico de drogas com "coragem profética". O chefe da Igreja Católica também pediu que os líderes políticos do país lutem contra a violência. As declarações foram feitas na capital mexicana, onde o sumo pontífice iniciou uma viagem de cinco dias.

Publicidade

O primeiro dia da visita oficial do papa Francisco ao México foi marcado por multidões nas ruas da capital e discursos contra a violência no país. "A proporção do fenômeno (do narcotráfico), a complexidade de suas causas, a imensidão de sua extensão, que devora como uma metástase, a gravidade da violência que desagrega e suas manifestações distorcidas, não nos permitem, nós, Pastores da Igreja, escondermo-nos atrás de simples condenações, mas exigem uma coragem profética", declarou o sumo pontífice em uma mensagem aos bispos.

“Eu peço que não subestimem o desafio moral e anticívico que representa o tráfico de drogas para a sociedade mexicana, inclusive para a Igreja”, completou o papa, que se disse muito preocupado com os jovens que, “seduzidos pela potência do mundo (...) comercializam a morte em troca de tesouros que, no final das contas, são devorados pelos vermes e pela ferrugem”.

Jorge Bergoglio também pediu que os bispos cuidem mais da situação dos povos indígenas. “O México precisa de suas raízes ameríndias para não ser reduzido a um enigma sem solução. Os índios mexicanos ainda esperam que a riqueza de sua contribuição seja realmente reconhecida”, declarou o papa.

Presidente deve garantir segurança do país, diz sumo pontífice

Um pouco mais cedo, durante a visita ao palácio nacional, onde foi recebido pelo presidente Enrique Peña Nieto, o papa Francisco pediu um comprometimento maior dos líderes do país para garantir uma “justiça real e segurança”. Essa é a primeira vez que um sumo pontífice é recebido na sede do governo mexicano, mesmo se outras visitas papais já foram realizadas na cidade.

Apesar da cultura católica, o México só tem relações diplomáticas com o Vaticano desde 1992, e defende uma tradição laica. O próprio presidente Peña Nieto faz parte do Partido revolucionário institucional, uma formação que, no passado, impôs políticas contrárias à influência da Igreja.

Como durante sua viagem aos Estados Unidos, o sumo pontífice também chamou a atenção para o drama dos imigrantes, e pediu que os bispos atuem em parceria os representantes da igreja norte-americana.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.