Acessar o conteúdo principal
Estados Unidos/Guantanamo

Obama anuncia plano para fechamento da prisão de Guantánamo

Militar americano na prisão de Guantánamo
Militar americano na prisão de Guantánamo REUTERS/Brennan Linsley

O presidente americano Barack Obama deve anunciar nesta terça-feira (23) um plano para o fechamento da prisão de Guantánamo, em Cuba. Esta é uma das promessas de campanha do chefe de Estado americano, que deixa o cargo no próximo ano, depois das eleições americanas que acontecem em novembro.

Publicidade

A dificuldade de Obama é obter um acordo com os republicanos, que são maioria no Congresso. Atualmente, existem 91 presos no centro, sendo que 34 obtiveram sua transferência aprovada pelas autoridades. Em 2003, havia 680 pessoas no local.

Outro problema é que muitos presos "não podem ser liberados", como declarou em setembro do ano passado o secretário de Defesa americano Aston Carter. Segundo ele, "metade dos presos de Guantánamo devem ficar na cadeia para o resto da vida". Ele também acrescentou que o fechamento da prisão deve ser feito se houver "total segurança".

Pentágono divulga relatório

No ano passado, o Pentágono pediu a uma equipe de especialistas que visitasse diversos centros de detenção nos EUA, aptos a receber os prisioneiros depois do fechamento da prisão. O relatório preparado pelo órgão deve ser entregue nesta terça-feira ao Congresso e vai detalhar o custo estimado dessas prisões.O governo poderá “distribuir” os condenados nas prisões de Naval Brig de Charleston, na Carolina do Sul, Fort Leavenworth, no Kansas, e na prisão de Florence, no Colorado.

Métodos discutíveis

O centro de detenção de Guantanamo abriu as portas em janeiro de 2002, durante o mandato do ex-presidente George W. Bush, logo após os atentados de 11 de setembro de 2001 e da intervenção americana no Afeganistão. O local ficou conhecido pela utilização de métodos de tortura utilizados na guerra contra o terrorismo.

 

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.