Acessar o conteúdo principal
Colômbia/Acordo

Líderes das Farc se reúnem para ratificar acordo de paz

Integrantes das Farc chegam a El Diamante para a realização da Conferência da guerrilha.
Integrantes das Farc chegam a El Diamante para a realização da Conferência da guerrilha. Reuters/John Vizcaino

Os guerrilheros das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) se reúnem a partir deste sábado (17) na região de Caguan, reduto da guerrilha no sudeste da Colômbia, para decidir se aprovam ou não o histórico acordo de paz com o governo colombiano. O documento prevê que o grupo abandone a luta armada e se transforme em uma organização política.

Publicidade

Após 52 anos de conflito, é a primeira vez que as Farc se encontram para discutir a paz e não estratégias de guerra no evento que acontece em El Diamante, um local remoto na região de LLanos del Yari, distante mais de cinco horas de San Vicente del Caguan.

A 10ª Conferência das Farc, já considerada histórica, vai durar até o dia 23 de setembro. Neste período, os cerca de 200 delegados da mais antiga guerrilha do continente, sendo 29 integrantes do Estado-Maior, e os representantes das bases, deverão se pronunciar sobre as propostas do acordo selado com o governo. O compromisso põe fim a um conflito que envolveu rebeldes de extrema-esquerda, paramilitares de extrema-direita e o exército, e deixou mais de 260 mil mortos, cerca de 45 mil desaparecidos e provocou o deslocamento de pelo menos 6,9 milhões de pessoas.

Em entrevista à agência AFP, Carlos Antonio Losada, um dos dirigentes das Farc, afirmou "ter certeza" de que a Conferência vai aprovar os acordos anunciados no dia 24 de agosto em Havana. Na capital cubana foram realizadas, durante cerca de quatro anos, as discussões entre o governo e a guerrilha. As propostas estão em um documento de 297 páginas.

Primeira Conferência aberta à imprensa

Outro ponto histórico da Conferência: pela primeira vez os líderes das Farc não vão se reunir na clandestinidade. O evento teve o aval do governo e é aberto à imprensa. As autoridades colombianas também autorizaram 24 rebeldes a saírem temporariamente da prisão para participar do encontro, que terá a cobertura de jornalistas representando cerca de 400 mídias. Eles puderam entrar no local do evento livremente, sem a necessidade de trocar um documento de identidade pela credencial da Conferência.

Além disso, pela primeira vez em 26 anos, os líderes vão se reunir com o conjunto de guerrilheiros. Segundo um dos especialistas da guerrilha, a última vez que eles participaram juntos de um encontro foi em 1993, em La Uribe, região central do país. A 9ª Conferência, em 2007, foi feita pela internet.

Guerrilheiros preparam as tendas para a realização das sessões durante a 10ª Conferência das Farc.
Guerrilheiros preparam as tendas para a realização das sessões durante a 10ª Conferência das Farc. REUTERS /John Vizcaino

Reuniões terão sessões fechadas

No local do encontro, considerado um dos redutos históricos da guerrilha, foram montadas centenas de tendas brancas para acolher as sessões da Conferência, que vão durar sete horas diárias e serão fechadas.

Se a Conferência der o sinal verde, Timoleon Jimenez, conhecido como "Timochenko", líder máximo das Farc, vai assinar os acordos com o presidente colombiano Juan Manuel Santos no dia 26 de setembro em Cartagena das Índias, na costa caribenha.

Os rebeldes, no entanto, só irão entregar suas armas quando os acordos forem aprovados pelos eleitores em um referendo programado para o dia 2 de outubro. A mais recente sondagem publicada pelo diário El Tiempo indica que 55,3% dos colombianos dirão "sim" à proposta.

 

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.