Acessar o conteúdo principal
EUA/México

Com Trump, México vai reforçar relações com América Latina

Donald Trump e o Presidente do México Enrique Peña Nieto, durante coletiva na cidade do México, 31/08/16.
Donald Trump e o Presidente do México Enrique Peña Nieto, durante coletiva na cidade do México, 31/08/16. REUTERS/Henry Romero

O presidente do México, Enrique Peña Nieto, disse nesta segunda-feira (23) que, nas negociações comerciais e políticas que terá com o presidente americano, Donald Trump, não haverá "nem confronto nem submissão".

Publicidade

"Diante da evidente dificuldade de materializar o Tratado de Associação Transpacífico (TPP), o México iniciará as negociações imediatamente" para conseguir acordos bilaterais com os outros países participantes, declarou. Nesta segunda-feira, Trump ordenou a saída dos Estados Unidos do acordo, cumprindo uma de suas promessas eleitorais.

Durante a campanha eleitoral, Trump também prometeu renegociar o tratado de livre comércio para a América do Norte, o Nafta, com o Canadá e México. O republicano antecipou que pretende conversar com o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, e com Peña Nieto sobre uma "renegociação" das bases do Nafta, por considerá-lo desvantajoso para os EUA.

"Se para o México a relação com os Estados Unidos é fundamental, também para os Estados Unidos a relação com o México é de altíssima importância", declarou Peña Nieto, que se reunirá com Trump no dia 31 de janeiro, em Washington.

"Está claro que temos que iniciar uma negociação" com os Estados Unidos sobre comércio e outros temas, e "há quem sugira que o México tenha uma postura agressiva e de confrontação. Outras vozes veem as assimetrias como submissão, mas nenhuma destas posições será a solução. Nem confrontação nem submissão, a solução é diálogo e negociação".

Oportunidades na região

Segundo o presidente, a partir de agora o México vai se concentrar em diversificar suas relações comerciais. Este país é "orgulhosamente latino-americano" e tem "oportunidades" comerciais na região e no mundo. Peña Nieto também reafirmou sua rejeição ao muro que Trump quer construir na fronteira com o México, como parte de sua política contra a imigração ilegal.

"O México reconhece os direitos de qualquer Nação soberana de garantir sua segurança, mas o México não acredita em muros, nosso país acredita em pontes para promover a boa vizinhança".Como primeiro objetivo na relação bilateral, Peña Nieto mencionou que "existe um compromisso do governo dos Estados Unidos de garantir um tratamento humano e de respeito com os direitos dos imigrantes mexicanos".

Também defendeu que "qualquer processo de repatriação de imigrantes sem documentos se realize de maneira ordenada e coordenada". Trump retirou os Estados Unidos do TPP nesta segunda-feira, após qualificar o acordo de "assassino de empregos" durante a campanha eleitoral. "Isso é simbólico", disse à imprensa o porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, acrescentando que "se abre uma nova era que favorecerá os trabalhadores americanos antes do que qualquer outra coisa".

(Com informações da AFP)
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.