Acessar o conteúdo principal

Chile decreta estado de emergência: quase 100 incêndios se alastram no país

Incêndios florestais deixam seis mortos no Chile.
Incêndios florestais deixam seis mortos no Chile. REUTERS/Pablo Sanhueza

A presidente do Chile, Michelle Bachelet, decretou estado de emergência diante dos piores incêndios da história do país, que já deixaram seis mortos e 12 feridos. Condições climáticas extremas são previstas para esta quinta-feira (26) e a ajuda internacional começa a chegar.

Publicidade

O Centro Nacional de Alerta Precoce do Chile informou que, dos 99 incêndios declarados, 30 foram controlados, 64 estão fora de controle e cinco foram extintos. O mais violento é o de Las Máquinas em Cauquenes, região do Maule, que arrasou uma área de 92 mil hectares, seguido pelo incêndio de San Antonio na Flórida, região do Bío-bío, com mais de 4 mil hectares atingidos. No total, a superfície queimada na última semana superou os 238 mil hectares.

Diante da gravidade da situação, Bachelet decretou estado de exceção constitucional e zona de catástrofe para as províncias de Colchagua e Cardenal Caro, na Região de O'Higgins, e para a Região do Maule. Além disso, está mantido o estado de exceção constitucional de catástrofe na comunidade de Valparaíso.

Mais de 4 mil pessoas, entre bombeiros, brigadistas, carabineiros, detetives, funcionários públicos, militares e civis, trabalham em operações para combater o fogo.

Regiões mais atingidas

O'Higgins e Maule são as regiões mais atingidas, embora na quarta-feira (25) vários incêndios tenham ficado descontrolados na região de Bío-Bío. O fogo alcançou sua rota interportuária Penco-Talcahuano, perto de Concepción, pelo incêndio declarado na região do Bío-Bío.

As chamas atingiram o pedágio do setor de Penco, segundo o ministério chileno de Obras Públicas. Com a morte de um bombeiro e de dois policiais na quarta-feira, já são seis as pessoas mortas no combate aos incêndios, que afetam principalmente o centro e o sul do país.

As mortes de policiais no rio Maule se somaram a um voluntário do Corpo de Bombeiros da comunidade de Talagante, em Santiago, perto de Constitución. Outros 12 voluntários do Corpo de Bombeiros ficaram feridos na região, segundo a imprensa local.

Ajuda internacional

O subsecretário do Interior do Chile, Mahmud Aleuy, agradeceu aos países que apoiaram a emergência, como Colômbia, México, Peru, França, Espanha e Estados Unidos.

Em seu Twitter, ele anunciou que nesta quinta-feira chegarão ao país "brigadistas colombianos e na sexta-feira (27) chegam brigadistas mexicanos".

Antes, a presidente Michelle Bachelet havia confirmado que um grupo de especialistas franceses viajou às zonas atingidas para listar os recursos que deverão ser mobilizados para ajudar no combate aos incêndios.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.