Acessar o conteúdo principal

Chile decreta estado de emergência: quase 100 incêndios se alastram no país

Incêndios florestais deixam seis mortos no Chile.
Incêndios florestais deixam seis mortos no Chile. REUTERS/Pablo Sanhueza

A presidente do Chile, Michelle Bachelet, decretou estado de emergência diante dos piores incêndios da história do país, que já deixaram seis mortos e 12 feridos. Condições climáticas extremas são previstas para esta quinta-feira (26) e a ajuda internacional começa a chegar.

Publicidade

O Centro Nacional de Alerta Precoce do Chile informou que, dos 99 incêndios declarados, 30 foram controlados, 64 estão fora de controle e cinco foram extintos. O mais violento é o de Las Máquinas em Cauquenes, região do Maule, que arrasou uma área de 92 mil hectares, seguido pelo incêndio de San Antonio na Flórida, região do Bío-bío, com mais de 4 mil hectares atingidos. No total, a superfície queimada na última semana superou os 238 mil hectares.

Diante da gravidade da situação, Bachelet decretou estado de exceção constitucional e zona de catástrofe para as províncias de Colchagua e Cardenal Caro, na Região de O'Higgins, e para a Região do Maule. Além disso, está mantido o estado de exceção constitucional de catástrofe na comunidade de Valparaíso.

Mais de 4 mil pessoas, entre bombeiros, brigadistas, carabineiros, detetives, funcionários públicos, militares e civis, trabalham em operações para combater o fogo.

{{ scope.counterText }}
{{ scope.legend }}© {{ scope.credits }}
{{ scope.counterText }}

{{ scope.legend }}

© {{ scope.credits }}

Regiões mais atingidas

O'Higgins e Maule são as regiões mais atingidas, embora na quarta-feira (25) vários incêndios tenham ficado descontrolados na região de Bío-Bío. O fogo alcançou sua rota interportuária Penco-Talcahuano, perto de Concepción, pelo incêndio declarado na região do Bío-Bío.

As chamas atingiram o pedágio do setor de Penco, segundo o ministério chileno de Obras Públicas. Com a morte de um bombeiro e de dois policiais na quarta-feira, já são seis as pessoas mortas no combate aos incêndios, que afetam principalmente o centro e o sul do país.

As mortes de policiais no rio Maule se somaram a um voluntário do Corpo de Bombeiros da comunidade de Talagante, em Santiago, perto de Constitución. Outros 12 voluntários do Corpo de Bombeiros ficaram feridos na região, segundo a imprensa local.

Ajuda internacional

O subsecretário do Interior do Chile, Mahmud Aleuy, agradeceu aos países que apoiaram a emergência, como Colômbia, México, Peru, França, Espanha e Estados Unidos.

Em seu Twitter, ele anunciou que nesta quinta-feira chegarão ao país "brigadistas colombianos e na sexta-feira (27) chegam brigadistas mexicanos".

Antes, a presidente Michelle Bachelet havia confirmado que um grupo de especialistas franceses viajou às zonas atingidas para listar os recursos que deverão ser mobilizados para ajudar no combate aos incêndios.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.