Acessar o conteúdo principal
Fraudes

Volkswagen e Bosch pagam US$ 1,5 bilhão em indenização pelo "dieselgate"

Fábrica da Volkswagen em Wolfsburg, no centro da Alemanha
Fábrica da Volkswagen em Wolfsburg, no centro da Alemanha Arquivo/AFP

A Volkswagen anunciou nesta quarta-feira (1°), nos Estados Unidos, que pagará uma indenização de mais de US$ 1,2 bilhão aos clientes que compraram carros com motores adulterados. O escândalo, que ficou conhecido como "dieselgate", envolveu o uso de um software para manipular dados de emissões de poluentes. A empresa de autopeças alemã Bosch, envolvida no mesmo escândalo, anunciou que pagará US$ 327,5 milhões para indenizar clientes e concessionárias.

Publicidade

A proposta de indenização da Volkswagen foi apresentada à Corte de São Francisco e se refere à fraude realizada em 78 mil veículos de motores 3.0 a diesel.

A empresa já havia chegado a um acordo de US$ 15 bilhões com proprietários de 500 mil veículos de motores 2.0 afetados pela manipulação.

O acordo está dividido em duas partes: a primeira é para veículos fabricados entre 2009 e 2012, e a segunda, entre 2013 e 2016.

Para os modelos mais antigos, cerca de 20 mil veículos, haverá a recompra ou uma proposta de crédito. Também há a possibilidade de modificar os carros para que reduzam as emissões de nitrogênio.

Para os veículos mais novos, fabricados entre 2013 e 2016, a proposta é um recall e o conserto dos motores, para que atendam as regras de emissões vigentes.

Bosch forneceu equipamentos para Volkswagen

A empresa de autopeças alemã Bosch anunciou nesta quarta-feira que pagará US$ 327,5 milhões para indenizar clientes e concessionárias nos Estados Unidos.

Acusada de fornecer equipamento e de ajudar a Volkswagen a dissimular a existência do software ilegal, a Bosch "chegou a um acordo para resolver a maior parte das ações civis", segundo um comunicado.

A empresa deixa para trás "a maior parte" dos processos nos Estados Unidos vinculados ao "dieselgate", mas o acordo não constitui um reconhecimento dos atos denunciados pelos demandantes nem uma confissão da Bosch.

"Queremos nos concentrar e nos dedicar à mudança no setor de mobilidade", explicou em um comunicado Volkmar Denner, diretor da empresa, para justificar o pagamento de indenizações.

A Bosch espera um aval definitivo da Justiça ao acordo em maio. A empresa havia reservado € 650 milhões adicionais em 2015 para enfrentar eventuais custos relacionados ao escândalo.

O grupo continua sob investigação na Alemanha e nos Estados Unidos. A Volkswagen aceitou pagar US$ 22 bilhões nos Estados Unidos às autoridades, clientes e concessionárias.

Fraude foi descoberta em 2015

O governo dos Estados Unidos acusou a Volkswagen de adulterar resultados em testes de poluentes em seus motores a diesel, em setembro de 2015. A fraude foi descoberta após um estudo apontar discrepâncias entre os poluentes emitidos em testes de laboratórios e nas ruas.

Segundo a agência ambiental americana, a montadora utilizava um software que controlava a emissão de poluentes apenas no momento em que os carros eram submetidos a vistorias.

O dispositivo analisa a posição da direção, velocidade do carro, temperatura do motor, entre outros. Ao perceber que se trata de um teste em laboratório, o veículo passa a emitir menos gases, o que não ocorre em rodagem normal de rua.

Cerca de 11 milhões de veículos em todo o mundo foram afetados pelo software manipulador.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.