Acessar o conteúdo principal

Trump promete “apoio total” ao lobby das armas nos EUA

O presidente norte-americano Donald Trump sobre ao palco para realizar discurso em evento do poderoso lobby dar amas nesta sexta-feira, 28 de abril de 2017.
O presidente norte-americano Donald Trump sobre ao palco para realizar discurso em evento do poderoso lobby dar amas nesta sexta-feira, 28 de abril de 2017. REUTERS/Jonathan Ernst

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assegurou nesta sexta-feira em Atlanta o seu “apoio total” ao poderoso lobby das armas, a National Rifle Association (NRA), prometendo proteger "a liberdade dos americanos".  

Publicidade

"Vocês têm um verdadeiro amigo na Casa Branca", declarou o presidente do partido republicano diante de uma multidão entusiasmada, prometendo "acabar com oito anos de ataques" contra a Segunda Emenda da Constituição. "Vocês me apoiaram, e eu vou apoiá-los", declarou Trump em um discurso nesta sexta-feira (28) durante a conferência anual da National Rifle Association.

Ansioso para galvanizar sua base depois de uma série de contratempos com a Justiça e o Congresso americanos, que mancharam significativamente o início do seu mandato, Trump tenta encontrar o tom para fazer as pazes com o discurso que norteou sua campanha eleitoral vitoriosa.

Com temas como o muro na fronteira mexicana ("Vamos construí-lo, não há dúvida sobre isso"), a denúncia aos "burocratas de Washington" e a celebração do slogan "América primeiro": o magnata imobiliário tem retomado seu corolário de predileção.

Combater as “gangues”

"Nós protegemos as liberdades de americanos que respeitam a lei e combatem as gangues", insistiu o presidente americano, diante de milhares de pessoas que se reuniram para a conferência anual do NRA, o lobby americano das armas, que lhe forneceu, desde o início da campanha, apoio e grande suporte financeiro.

Mesmo se os candidatos republicanos tradicionalmente buscam apoio junto a organizações influentes, que se orgulham de sua capacidade de influenciar as eleições, não é comum que um chefe de Estado eleito discurse em seus eventos. O exemplo mais recente remonta a quase 35 anos, com Ronald Reagan.

"Após oito longos anos, temos novamente um presidente que respeita e ama a liberdade individual!" tuítou a NRA pouco antes do início do discurso de Trump. No palco, Wayne Lapierre, seu líder, pediu apoio ao presidente americano face "à guerra intensa travada por esquerdistas fanáticos". A organização enumerou ainda os pontos positivos bilionário, desde que ele chegou ao poder, elogiando em particular a escolha do juiz conservador, Neil Gorsuch, para o Supremo Tribunal dos Estados Unidos.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.