Acessar o conteúdo principal

Colômbia ainda busca por desaparecidos em naufrágio de embarcação turística

Uma embarcação transportando quase 170 pessoas naufragou na represa El Peñol de Guatapé, na Colômbia, em 25 de junho de 2017
Uma embarcação transportando quase 170 pessoas naufragou na represa El Peñol de Guatapé, na Colômbia, em 25 de junho de 2017 Juan Quiroz/via REUTERS

Uma embarcação transportando quase 170 pessoas naufragou neste domingo (25) na represa El Peñol de Guatapé, local turístico do nordeste da Colômbia, deixando ao menos seis mortos e um número ainda desconhecido de desaparecidos.Cerca de 133 pessoas foram resgatadas.

Publicidade

A embarcação 'El Almirante', de quatro conveses, transportava quase 170 pessoas, que embarcaram sem fazer registro ou identificação.  De acordo com o governador, "na capela do município de Guatapé há famílias perguntando por um total de 16 desaparecidos. O resgate de vítimas foi suspenso durante a madrugada devido a fortes chuvas na região.

O navio naufragou por volta das 14h00 locais (16h00 de Brasília) a 68 km de Medellín, capital do departamento. "Frente à emergência em Guatapé, @FuerzaAereaCol e organismos de socorro atendem a situação. Estamos prontos a dar a assistência requerida", escreveu o presidente Juan Manuel Santos em sua conta no Twitter. Mais cedo, a Força Aérea colombiana enviou um helicóptero UH-60 ÁNGEL para ajudar na emergência. Outros dois helicópteros da Sétima Divisão do Exército, que opera em Antioquia, também seguiram para o local, informou a autoridade em mensagem a jornalistas. "Nossas aeronaves e tripulações estão prontas para evacuar as pessoas mais graves e que requeiram atendimento imediato", informou a Força Aérea.

O corpo de bombeiros da Colômbia anunciou o envio de homens dos municípios de Rionegro, Envigado, Marinilla, Guarne, El Peñol e Medellín para o local. "O naufrágio foi extremamente rápido, ocorreu em poucos minutos (...) e as embarcações que estão no local prestam os primeiros socorros", declarou o capitão Luis Bernardo Morales, comandante dos bombeiros de Envigado.

O capitão informou que as causas do naufrágio ainda são desconhecidas. "O que vimos nos vídeos é que o barco estava muito perto do porto, muito perto do cais (...) e não sabemos se o naufrágio ocorreu por uma falha mecânica, por superlotação ou uma questão de correntes".

O naufrágio foi registrado em um vídeo que começou a circular nas redes sociais. Dezenas de embarcações aparecem aproximando-se do local para resgatar os ocupantes. As pessoas resgatadas foram levadas ao hospital municipal, explicou a fonte do governo.

Organismos de socorro também se dirigem por terra ao local, que tem grande afluência de turistas em fins de semana prolongados, pois a segunda-feira é feriado na Colômbia, acrescentou a fonte.

Os turistas, tanto locais quanto estrangeiros, vão a esta represa, de propriedade das Empresas Públicas de Medellín (EPM) para fazer passeios de uma ou duas horas por suas águas em embarcações de dois ou três conveses.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.