Acessar o conteúdo principal
RFI Convida

Igor Fuser: “Brasil e vizinhos latinos jogaram lenha na fogueira da crise na Venezuela”

Áudio 07:12
Igor Fuser é professor de Relações Internacionais da Universidade Federal do ABC (UFABC).
Igor Fuser é professor de Relações Internacionais da Universidade Federal do ABC (UFABC). Divulgação

As declarações recentes do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre a crise na Venezuela criaram tensão nos países do continente americano. O chefe da Casa Branca não descartou uma intervenção direta de Washington e chamou a atenção para uma queda de braço política que pode ter consequências para os vizinhos da região. Para Igor Fuser, professor de Relações Internacionais da Universidade Federal do ABC (UFABC), as demais nações latino-americanas estão subestimando o impacto que a situação venezuelana pode ter em todo o bloco.

Publicidade

Segundo o cientista político, as ameaças de Trump confirmam uma tendência que já vem sendo apontada desde o governo de Barack Obama. Para ele, “os Estados Unidos estão empenhados em reverter o movimento de busca de maior autonomia de países da América do Sul iniciado na virada do século com a instalação de governos progressistas em nações como Venezuela, Brasil, Argentina, Bolívia, Equador e vários outros”. O professor defende que Washington não aceita que os latino-americanos adotem uma postura soberana na cena internacional e que os norte-americanos “estão habituados a ver a América Latina como seu quintal”.

Fuser ressalta que “não se trata apenas de um conflito interno, mas também uma crise com dimensões geopolíticas”. E, mesmo se critica a posição dos Estados Unidos, o professor também chama a atenção para a postura dos vizinhos da Venezuela que, segundo ele, poderiam ter um papel de mediador.

“No entanto, o que vemos na esfera regional é uma postura extremamente irresponsável de governos direitistas da região, começando pelo brasileiro, de Michel Temer, ao qual falta inclusive a legitimidade democrática, mas também de outros países, como Colômbia e Peru, que têm optado por jogar lenha na fogueira, acirrando ainda mais o conflito interno venezuelano”, analisa.

Risco de guerra civil

Mas o professor avalia que essas nações se tornaram “vítimas de sua própria armadilha, pois essas declarações de Trump são muito agressivas não só contra a Venezuela, mas contra toda a América Latina”.

Para ele, os governantes vizinhos subestimam a crise venezuelana. Mesmo se ele não é iminente, “o risco de uma guerra civil na Venezuela é real”, alerta o professor, lembrando que um possível conflito armado interno no país seria “uma catástrofe” para as nações da região.

Ouça a entrevista completa clicando na foto acima.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.