Acessar o conteúdo principal

Ex-guerrilha, Farc se torna o novo partido político da Colômbia

Rodrigo Londono, conhecido como Timochenko, durante discurso no Congresso das FARC em Bogotá, em 27 de agosto de 2017.
Rodrigo Londono, conhecido como Timochenko, durante discurso no Congresso das FARC em Bogotá, em 27 de agosto de 2017. REUTERS/Jaime Saldarriaga

O partido Farc será oficialmente apresentado à Colômbia nesta sexta-feira (1) dando início a uma nova etapa do movimento dos ex-guerrilheiros na política no país, historicamente dominada por conservadores e liberais.

Publicidade

Os rebeldes da ex-guerrilha finalizaram seu desarmamento em novembro, após anos de negociação, quando assinaram um acordo de paz com o governo. Pelo Twitter, Rodrigo Lodoño, líder da agora Farc - Força Alternativa Revolucionária do Comum - explicou que a sigla foi mantida por decisão da maioria dos integrantes, em um congresso realizado no domingo em Bogotá.

Durante o evento, cerca de 1,2 mil membros do novo partido também definiram as diretrizes do movimento político e seus candidatos para as eleições de 2018. No entanto, o novo partido Farc terá um duro e longo trabalho pela frente: mais de 80% dos colombianos consideram negativa a imagem do movimento.

Debate sobre o novo nome

O debate sobre o nome do novo partido foi um dos mais esperados durante o congresso dos ex-guerrilheiros, uma vez que a sigla Farc é sinônimo de massacres e sequestros para muitos colombianos.

Pouco antes, Ivan Marquez, representante da guerrilha durante as negociações de paz, propôs o nome "Força Alternativa Revolucionária da Colômbia" e insistiu no domingo que as Farc se tornariam um "partido revolucionário".

Mas em uma consulta lançada no Twitter por Rodrigo Londoño, foi o nome "Nueva Colômbia" que ganhou com 36% dos 10.387 votos. "Eles decidiram manter a sigla Farc porque querem manter sua identidade com o campo", declarou o sociólogo e antropólogo Fabian Sanabria, alertando que "a escolha é espantosa" porque "as pessoas esperavam por outra coisa". Isso não os aproximará das classes médias, nem da população urbana", concluiu.

Os ex-guerrilheiros também apresentaram seu novo emblema, inspirado por outros movimentos socialistas, com uma rosa vermelha decorada com uma estrela em seu centro, e as letras Farc inscritas em verde.

 

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.