Acessar o conteúdo principal
Escändalo

Woody Allen lamenta escândalo sexual envolvendo Harvey Weinstein

O cineasta Woody Allen com o produtor Harvey Weinstein em 04/08/2008
O cineasta Woody Allen com o produtor Harvey Weinstein em 04/08/2008 KEVIN WINTER / Getty Images North America / AFP

O diretor de cinema americano Woody Allen disse se sentir "triste" pelo produtor de Hollywood Harvey Weinstein, acusado de cometer abuso e violência sexual, e chamou de "trágica" a situação das mulheres afetadas.

Publicidade

"Tudo sobre o caso Harvey Weinstein é muito triste para todos os envolvidos", disse Allen à emissora britânica BBC, no domingo à noite.

"É trágico para as pobres mulheres envolvidas e triste por Harvey, cuja vida ficou arruinada", completou.

"Não há ganhadores nisso. É simplesmente muito, muito triste e trágico para essas pobres mulheres que tiveram de passar por isso", afirmou o premiado cineasta.

Cinco mulheres acusaram Weinstein, de 65, de tê-las violentado, e mais de 30, entre elas Mira Sorvino, Rosana Arquette, Gwyneth Paltrow, Angelina Jolie e Léa Seydoux, relataram terem sofrido assédio sexual.

No passado, Woody Allen foi acusado por sua filha adotiva Dylan Farrow de ter abusado dela quando era criança.

O jornalista Ronan Farrow, cuja reportagem para a revista New Yorker trouxe à tona vários depoimentos de vítimas, é filho biológico de Allen com a atriz Mia Farrow.

Mas Ronan e o diretor estão afastados há anos, desde que Dylan revelou os abusos, dos quais Allen nunca foi condenado.

Allen e Mia Farrow se separaram quando o cineasta assumiu um relacionamento com Soon-Yi Prévin, irmã adotiva do repórter, em 1992. Na época, Allen tinha 57 anos e Soon-Yi, 21.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.