Acessar o conteúdo principal
Astronáutica

Trump promete base na Lua para levar americanos a Marte

Make America great again: Trump promete a conquista de Marte na década de 2030.
Make America great again: Trump promete a conquista de Marte na década de 2030. REUTERS/Carlos Barria

O presidente americano Donald Trump confirmou sua intenção de enviar astronautas à Lua pela primeira vez desde 1972 com o objetivo de preparar uma missão tripulada a Marte.

Publicidade

Cerca de meio século depois da façanha de Neil Armstrong, a Lua, satélite natural da Terra, volta a ser objeto de interesse.

"Desta vez, não se trata apenas de fincar a bandeira e deixar nossa marca. Estabeleceremos uma base para uma missão a Marte e, talvez um dia, a outros mundos além", declarou Trump em uma cerimônia na Casa Branca.

Junto a seu vice Mike Pence e vários astronautas aposentados, o presidente assinou uma diretriz pedindo à Nasa que multiplique seus esforços nas missões tripuladas no espaço profundo, uma prioridade para os legisladores dos dois partidos.

Trump, no entanto, foi extremamente evasivo a respeito do financiamento e do calendário desta iniciativa.

Os especialistas concordam que para se chegar ao Planeta Vermelho, que se encontra a uma distância de 225 milhões de quilômetros da Terra, será necessário uma verdadeira proeza técnica e um orçamento milionário.

"Sonhamos grande", acrescentou Trump, prometendo que os Estados Unidos continuarão sendo líderes da exploração espacial.

No final de março, Trump definiu as missões tripuladas ao espaço distante como “objetivo central da Nasa”.

Aprovado por unanimidade no Congresso, o texto pedia à agência espacial americana que trabalhasse pelo objetivo de "uma missão tripulada a Marte no curso da década de 2030".

Logística

As administrações americanas impulsionaram nos últimos anos a ideia de uma associação com o setor privado para resolver os inúmeros desafios logísticos que se apresentam na exploração de planetas distantes. Entre eles, a necessidade de levar alimentos e água suficientes para trajetos de vários meses, ou anos.

Com o objetivo de uma missão tripulada a Marte, Trump segue a linha de seu predecessor, o democrata Barack Obama, que poucas semanas antes de deixar a Casa Branca declarou "um objetivo claro para o seguinte capítulo da história dos Estados Unidos no espaço: enviar humanos a Marte na década de 2030 e trazê-los de volta à Terra de forma segura".

Mas a nova administração marca uma inflexão em relação à precedente ao insistir com firmeza no retorno do Homem à Lua.

O milionário Elon Musk, chefe da SpaceX, e Jeff Bezos, proprietário da Amazon, que criou a empresa de exploração espacial Blue Origin, reuniram-se várias vezes com assessores de Trump.

Em janeiro, Bezos indicou em um documento submetido à Nasa que Blue Origins teria interesse em construir uma nave espacial e uma plataforma de pouso lunar, a fim de assegurar um serviço de frete e módulos habitacionais na Lua.

Reação

"A Nasa está impaciente para colocar em marcha a diretiva presidencial de retornar à Lua, viajar a Marte e explorar o sistema solar", declarou Robert Lightfoot, administrador da Nasa.

(Com agência AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.