link.skip.main
Paraguai

Novo presidente do Paraguai é filho do ex-secretário de Stroessner

O novo presidente paraguaio, Mario Abdo Benitez, após sua vitória em Assunção, em 22 de abril de 2018
O novo presidente paraguaio, Mario Abdo Benitez, após sua vitória em Assunção, em 22 de abril de 2018 REUTERS/Andres Stapff

Mario Abdo Benítez é o novo presidente eleito do Paraguai. O resultado definitivo foi anunciado tarde da noite de domingo (22) pelo Tribunal Superior da Justiça Eleitoral. Esta foi uma acirrada disputa na qual eram esperados cerca de 20 pontos de diferença. Mas a distância de votos entre o vitorioso político do tradicional Partido Colorado do adversário Efrain Alegre, da coligação Aliança Ganhar, foi de apenas três pontos.

block-ad.label

Elianah Jorge, correspondente da RFI na América do Sul

A votação também esteve marcada pela forte abstenção. Por volta de 4,2 milhões de eleitores estavam registrados para votar, mas apenas 61,31% compareceram às urnas. A votação no Paraguai é obrigatória e manual. Cada eleitor escolheu presidente, governadores, senadores e deputados.

De acordo com a chefe da Missão de Observação Eleitoral da União Europeia, Renate Weber, o dia transcorreu normal e sem alterações.

No próximo 15 de agosto o atual presidente Horacio Cartes, também do Partido Colorado, entregará a presidência a Abdo. Neste dia também ocorrerá a posse de 45 senadores, 80 deputados e dos 17 governadores eleitos.

Embora a presidência do Paraguai se mantenha nas mãos do Colorado, há fortes rixas internas. O presidente eleito conseguiu criar uma oposição a Cartes dentro do próprio partido.

Herança paterna

Mario, ou Marito, como prefere ser chamado é filho do ex-secretário pessoal do ex-ditador Alfredo Stroessner. Ele conseguiu se desvencilhar do passado do pai, mas não esconde certa admiração pelo homem que governou o país com mão de ferro entre 1954 e 1989. Este período é considerado um dos mais sangrentos na história do Paraguai.

Marito Abdo se formou em Marketing em uma universidade nos Estados Unidos e herdou do pai uma considerável fortuna.

Pelas redes sociais ele agradeceu seus eleitores ao afirmar que “dá para sentir toda a esperança do povo”.

A pequena diferença, de apenas 3% no número de votos, levou o candidato derrotado Efrain Alegre a questionar a legitimidade dos resultados.

Esta foi a segunda vez que Alegre concorreu à presidência. Ele contava com o apoio do ex-presidente Fernando Lugo, que foi destituído do cargo em 2012.

Marito Abdo Benítez tem pela frente o desafio de reduzir a pobreza no país, que chega a 26,4% da população; além de reduzir o desemprego, na casa dos 5,2%, e a informalidade.

Estes dados contrastam com um longo período de crescimento. Este ano o Paraguai, de acordo com estimativas do Fundo Monetário Internacional (FMI), deve crescer 4%, número superior às estimativas para o Brasil e a Argentina, de acordo com cálculos deste organismo internacional.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.