Acessar o conteúdo principal
Violência

Polícia acredita que agressor de Toronto tinha mulheres como alvo

Uma das vítimas do ataque perpetrado pelo canadense Alek Minassian, de 25 anos, em Toronto, na última segunda-feira (23).
Uma das vítimas do ataque perpetrado pelo canadense Alek Minassian, de 25 anos, em Toronto, na última segunda-feira (23). REUTERS/Carlo Allegri

A polícia do Canadá revelou na sexta-feira (27) que entre as dez pessoas mortas no atropelamento de segunda-feira (23) em Toronto, oito são do sexo feminino. Antes do ataque, o agressor publicou uma mensagem misógina no Facebook.

Publicidade

Alek Minassian, canadense de 25 anos, parece ter tido um alvo claro no ataque que realizou na última segunda-feira em uma rua do centro de Toronto: as mulheres. No total, o agressor matou oito pessoas do sexo feminino e dois homens. 

A polícia canadense descartou a pista terrorista desde o início das investigações e revelou que Minassian teria uma "profunda aversão por mulheres". Minutos antes de realizar o atropelamento, o agressor publicou uma enigmática mensagem, interpretada pelos investigadores como misógina. "A rebelião Incel já começou!", escreveu o canadense.

"Incel" é a abreviação do termo "involuntarily celibate", que, em português significa "involuntariamente solteiro". A expressão é utilizada por um movimento masculino e sexista, sem vida sexual ativa, e que culpa as mulheres pelo problema. O número de seguidores do "Incel" aumentou especialmente após o surgimento da mobilização feminista #MeToo.

Em sua publicação antes do atropelamento, Minassian também saúda Elliot Rodger, autor do massacre de Isla Vista, na Califórnia, em 2014. Rodger, na época com 22 anos, matou seis pessoas e feriu mais de 20 no campus da universidade de Santa Barbara, antes de se suicidar. Em um vídeo, ele explicou que seu ato foi um castigo às mulheres que o rejeitaram. 

Vítimas identificadas

De acordo com a polícia, todas as vítimas foram identificadas e suas famílias foram notificadas. Os mortos têm entre 22 e 94 anos. Outras 16 pessoas ficaram feridas no atropelamento. Minassian foi preso logo após o crime. 

Entre os mortos, há três mulheres idosas, Mary Elizabeth Forsyth, de 94 anos, Géraldine Brady, de 83 anos e Dorothy Sewel, de 80 anos. Beutis Renuka Amarasingha, de 45 anos, era mãe solteira de um menino de 7 anos e desempenhava um papel importante na comunidade de imigrantes do Sri Lanka no Canadá. 

Chung So-he, de 22 anos, era estudante de biologia molecular na universidade de Toronto. Outra vítima, Anne-Marie D'Amico, de 30 anos, trabalhava na sociedade financeira Invesco, a poucos metros do ataque. Também perto de seu local de trabalho morreu a executiva Andrea Bradden, de 33 anos. A sul-coreana Kim Ji-hun, de 22 anos, viajou ao Canadá para fazer seus estudos na universidade de Seneca.

Os dois homens que morreram atropelados por Minassian são o jordaniano Mounir Habib Najjar, que viajou a Toronto com a mulher para visitar o filho, e o sul-coreano Kang Chul-min, que tinha um caminhão de lanches na rua que foi palco do ataque.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.