Acessar o conteúdo principal

El Chapo é declarado culpado e pode pegar prisão perpétua

El Chapo durante sua extradição aos Estados Unidos em 19 de janeiro de 2017
El Chapo durante sua extradição aos Estados Unidos em 19 de janeiro de 2017 HO / INTERIOR MINISTRY OF MEXICO / AFP

O narcotraficante mexicano Joaquim Guzman, conhecido como “El Chapo”, de 61 anos, foi declarado culpado nesta terça-feira (12). O anúncio foi feito após três meses de processo, onde foi relembrada e analisada a extrema violência dos carteis de droga.

Publicidade

O veredito, anunciado pelos 12 juízes do Tribunal Federal de Brooklyn, deve condenar El Chapo, segundo a lei americana, à pena perpétua. O México colaborou com os Estados Unidos para a extradição do narcotraficante, capturado em janeiro de 2017, após ter escapado duas vezes das autoridades mexicanas.

Os investigadores americanos ouviram 56 testemunhas, incluindo vários ex-funcionários ou pessoas que tinham ligação com El Chapo. Eles o acusaram de co-dirigir o poderoso cartel de Sinaloa, criado entre as montanhas do oeste do México.

Várias testemunhas, que agora estão presas nos Estados Unidos ou sob a proteção das autoridades americanas, descreveram com muitos detalhes a organização do cartel e o papel central de El Chapo. O líder mafioso organizava a exportação de várias toneladas de cocaína da Colômbia aos Estados Unidos, além de ordenar diversos atos violentos para neutralizar seus rivais e manter um esquema de corrupção sistêmico com a polícia, militares e representantes do governo mexicano.

Carteis continuarão sem El Chapo

Após a oficialização da sentença, que deve ocorrer daqui a alguns meses, El Chapo poderá ser transferido para a prisão do Colorado, considerada como uma das mais seguras dos Estados Unidos. Sua condenação é uma vitória para o governo americano, que não conseguiu a extradição do colombiano Pablo Escobar, morto numa operação policial em Medelin em 1993.

A intenção da justiça americana era expor em detalhes o funcionamento dos carteis latino-americanos, que invadem os Estados Unidos com suas drogas desde os anos 1980. O cartel de Sinaloa, de onde veio El Chapo, está longe de ser erradicado. Seu “co-diretor”, Ismael “El Mayo” Zambada, continua em fuga.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.