Acessar o conteúdo principal
Venezuela/ ONU

ONU intensifica críticas às sanções dos EUA à Venezuela

Michelle Bachelet, Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, em Genebra em 6 de março de 2019.
Michelle Bachelet, Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, em Genebra em 6 de março de 2019. REUTERS/Denis Balibouse

A Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, intensificou as críticas às sanções dos EUA contra a Venezuela nesta quarta-feira (20), um dia depois de o presidente Donald Trump ter advertido que elas poderiam ser "muito mais duras".

Publicidade

Bachelet também voltou a criticar o governo do presidente venezuelano Nicolás Maduro, acusando-o de medidas violentas contra a dissidência.

"Estou preocupado que as recentes sanções às transferências financeiras derivadas da venda de petróleo venezuelano nos Estados Unidos possam contribuir para agravar a situação econômica, com possíveis repercussões nos direitos básicos e no bem-estar da população", disse Bachelet ao Conselho de Direitos Humanos da ONU.

Essas afirmações acontecem um dia após o anúncio de novas sanções pelo Departamento do Tesouro americano.

No começo de março, Bachelet já denunciou as sanções internacionais contra a Venezuela, embora naquele momento não tenha mencionado nenhum país em particular.

Os Estados Unidos e cerca de 50 países reconheceram o chefe do parlamento, o opositor Juan Guaidó, como presidente encarregado da Venezuela.

Para aumentar a pressão, Washington impôs à Venezuela sanções econômicas e decretou um embargo sobre o petróleo, exportação crucial para a economia do país, que tem que entrar em vigor em 28 de abril.

(Com informações da AFP)

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.