Acessar o conteúdo principal
Peru/Escândalo da Odebrecht

Ex-presidente do Peru Alain García tenta suicídio para escapar de detenção

Alan García é acusado de envolvimento no escândalo da Odebrecht durante seu segundo mandato como presidente do Peru.
Alan García é acusado de envolvimento no escândalo da Odebrecht durante seu segundo mandato como presidente do Peru. Twitter @AlanGarciaPeru

O ex-presidente Alain García é suspeito de envolvimento no escândalo de corrupção da Odebrecht no Peru. Ele seria detido na manhã desta quarta-feira (17) e tentou cometer suicídio para escapar da prisão.

Publicidade

Alan García tentou se suicidar com uma arma de fogo. Ele atirou contra sua cabeça quando os policiais chegaram em sua casa em Lima. O ex-presidente foi levado para o hospital Casimiro Ulloa da capital peruana e está sendo operado em caráter de urgência.

"Esta manhã aconteceu este acidente lamentável: o presidente tomou a decisão de atirar", afirmou seu advogado Erasmo Reyna na entrada do hospital. Fontes hospitalares confirmaram que García, 69 anos, tem "um ferimento de bala na cabeça”. O canal de televisão local America informa que seu estado é critico.

Escândalo peruano da Odebrecht

O social-democrata Alain García presidiu o Peru duas vezes. Seu primeiro mandato ocorreu de 1985 à 1990, e o segundo, de 2006 à 2011. Ele foi acusado no ano passado de ter recebido propina da construtora brasileira Odebrecht para a construção do metrô de Lima.

Em novembro de 2018, a justiça peruana proibiu que Alan García deixasse o país durante 18 meses. A investigação, realizada pela Procuradoria do Peru e iniciada em 2017, vê supostas irregularidades na licitação para a construção da linha 1 do metrô de Lima durante o segundo mandato de García.

O Peru é um dos países mais afetados pelo escândalo de corrupção da Odebrecht, que admitiu ter pago US$ 29 milhões em subornos ao longo de três governos peruanos.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.