Acessar o conteúdo principal
Estados Unidos/Trump

EUA: democratas tentam novamente processo de impeachment de Trump

O presidente americano Donald Trump conversa antes de embarcar no Air Force One de volta para Washington
O presidente americano Donald Trump conversa antes de embarcar no Air Force One de volta para Washington REUTERS/Jonathan Ernst

Os democratas do Congresso americano deram um novo passo nesta segunda-feira (9) para possibilitar a abertura de um processo de impeachment do presidente Donald Trump – que pode ser acusado de ter beneficiado de ajuda russa para se eleger em 2016.

Publicidade

A comissão judiciária da Câmara dos Representantes, de maioria democrata, deve formalizar nesta quinta-feira (12) a abertura de uma investigação que pode determinar se é possível iniciar o processo de destituição. A informação foi divulgada pelo presidente da Comissão, Jerry Nadler, que há vários meses investiga o chefe de Estado americano. Seus membros, agora, vão se pronunciar sobre uma resolução que determinará se é possível “recomendar” um voto de destituição contra  Trump.

O inquérito vai apurar se o presidente exerceu algum tipo de pressão nas investigações sobre a influência russa na campanha eleitoral que o elegeu em 2016, para determinar se ele pode ser acusado de obstrução de justiça. A Comissão também quer destrinchar os gastos de Trump desde que o milionário assumiu o cargo. Os parlamentares também querem descobrir se o presidente americano usou dinheiro da campanha eleitoral para silenciar suas amantes.

Senado deve bloquear proposta

Há meses os democratas buscam provas para lançar o processo de impeachment, mesmo sabendo que a maioria republicana no Senado deve vetar o procedimento. A chefe dos democratas, Nancy Pelosi, é reticente em relação à iniciativa. Ela teme que as discussões atrapalhem debates fundamentais para campanha presidencial de 2020. Mas, cada vez mais parlamentares não descartam a ideia da destituição.

Paralelamente, democratas abriram nesta segunda-feira (9) uma nova investigação contra Trump, que teria pressionado a Ucrânia, pedindo provas contra o filho de Joe Biden, favorito às primárias do partido Democrata. Hunter Biden manteve, durante muito tempo, negócios com uma companhia de gás ucraniana.

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.