Acessar o conteúdo principal
EUA

EUA : Milhares se preparam invadir base militar Área 51 em busca de extraterrestres

Fãs de ficção científica e adeptos de teorias do complô já estão reunidos nos arredores da Área 51
Fãs de ficção científica e adeptos de teorias do complô já estão reunidos nos arredores da Área 51 REUTERS/Jim Urquhart

Mais de dois milhões de pessoas responderam presente ao chamado lançado nas redes sociais para uma invasão da Área 51, base da Força Aérea em Nevada, nos Estados Unidos, que há anos é apontada como possível esconderijo de provas de contatos do governo norte-americano com extraterrestes. Diante da mobilização dos internautas, o organizador do evento disse que se tratava de uma piada. Mas as autoridades temem uma ação coletiva na região e já avisaram que a segurança foi reforçada.

Publicidade

Lançado em julho no Facebook, o movimento convidava os internautas a entrar na zona militarizada nesta sexta-feira (20). “Eles não podem nos parar”, dizia o texto, que contou rapidamente dom a adesão dos internautas.  

Paralelamente, um festival batizado “Alienstock” foi anunciado, prometendo concertos, performances e um acampamento gigante. Além dos dois milhões de pessoas que se disseram dispostos a participar da ação, 10 mil reservas foram feitas para o acampamento do festival.

Rapidamente as autoridades avisaram que se trata de uma zona militarizada e que a entrada é totalmente proibida. “A Área 51 é um local que serve para treinamentos ao ar livre das Forças Aéreas norte-americanas. Nós desencorajamos qualquer um que tente entrar. Estamos prontos para proteger a América e seus interesses”, declarou o Exército, mostrando que não estava brincando com o assunto.

Organizador ficou com medo e festival mudou de lugar

Imediatamente, Jackson Barnes, o autor do primeiro chamado, percebeu que tinha ido longe demais. “É uma piada. Eu não tinha a intenção de executar esse plano”, declarou nas redes sociais. “Pensei apenas que seria engraçado. Mas não sou responsável se as pessoas decidirem invadir a Área 51”, disse, antes de suprimir a página Facebook na qual havia postado a convocação.

O festival Alienstock, que deveria acontecer em Rachel, cidade de apenas 90 habitantes próxima da base militar, também foi adiado. Matty Roberts, organizador do evento, anunciou em um comunicado que não havia infraestrutura suficiente para acolher os participantes. “Não queremos que ninguém fique ferido ou perdido no meio do deserto”, declarou. O evento, que finalmente foi rebatizado « Área 51 Celebration », foi transferido para Las Vegas, a 140 quilômetros da base militar.

Mesmo assim, a região em volta da Área 51 registrou picos de reservas nos hotéis nos últimos dias e os caçadores de extraterrestres e ufólogos de várias partes do país começaram a chegar ao local já na noite de quinta-feira (19).

As autoridades lembram que quem tentar entrar na base militar, que é cercada por um forte esquema de segurança, com homens armados e câmeras, está sujeito a pena de seis meses de prisão e US$ 500 de multa. Em janeiro deste ano, um homem foi abatido por militares ao ultrapassar as barreiras da base.  

Segredos do governo e participação no X-Files

Construída nos anos 1950 ao norte de Las Vegas, a Área 51 alimenta especulações há décadas. Os adeptos de teorias da conspiração defendem que as Forças Aéreas esconderiam na base militar restos de um disco voador e os corpos de uma tripulação de alienígenas após a queda de uma aeronave em Roswell, no Novo México, em 1947.

O mistério em torno do local foi alimentado pelo próprio governo norte-americano, já que as autoridades do país reconheceram a existência da base pela primeira vez apenas em 2013. Além disso, séries de ficção cientifica, como X-Files, ou filmes como Independence Day, de Roland Emmerich, contribuíram com o mito da Área 51.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.