Acessar o conteúdo principal
Dilma/Alemanha

Dilma visita feira alemã e discute 'tsunami monetário' com Merkel

A presidente brasileira Dilma Rousseff durante a reunião de cúpula do G20, em novembro de 2011.
A presidente brasileira Dilma Rousseff durante a reunião de cúpula do G20, em novembro de 2011. REUTERS

A presidente Dilma Rousseff chega neste domingo a Hannover, na Alemanha, para participar da CEBIT, uma das maiores feiras internacionais de tecnologia no mundo, e discutir acordos de cooperação com o governo alemão. Uma delegação empresarial de 200 pessoas acompanhará a presidente na viagem.

Publicidade

A agenda oficial da presidente começa apenas na segunda-feira. No final da tarde, às 18h, Dilma participará da cerimônia de abertura da CEBIT, uma das maiores feiras internacionais de tecnologia do mundo. O Brasil é o país tema da exposição neste ano, que reúne cerca de 4200 expositores de mais de 70 países. À noite, a presidente também será homenageada em um jantar oferecido pela chanceler alemã Angela Merkel, na casa de hóspedes do governo da Baixa Saxônia, e às 21H30, segundo a agenda divulgada pelo palácio do Planalto, as duas líderes terão um encontro bilateral a portas fechadas.

De acordo com o governo brasileiro, Dilma e a chanceler vão dicutir o reforço da cooperação bilateral entre os dois países. A Alemanha, segundo o Planalto, é um dos principais parceiros do programa ‘Ciências sem Fronteiras’, que possibilita o intercâmbio entre bolsistas dos dois países. Além da educação, parcerias nas áreas científicas e comerciais também serão avaliadas. O volume de comércio entre os dois países superou US$ 24 bilhões em 2011.

A questão da reforma do FMI (Fundo Monetário Internacional) também estará no centro das discussões. O Brasil exige uma maior participação nas instituições financeiras internacionais, tradicionalmente dirigido por europeus e americanos. Além disso, a presidente deve conversar com a chanceler sobre o "tsunami monetário" provocado pelos países desenvolvidos, que com sua política de austeridade, acaba provocando uma supervalorização das moedas dos emergentes em relação ao dólar, prejudicando as exportações. A presidente reservou a terça-feira para visitar os estandes da CEBIT. Na ocasião, Dilma também deve almoçar com os empresários dos dois países e conceder uma coletiva de imprensa.
 

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.