Acessar o conteúdo principal
Brasil/Vinhos

Le Monde elogia os bons vinhos brasileiros

@ Le Monde

Suplemento especial do jornal Le Monde que chegou às bancas nesta quinta-feira, 19 de setembro, sobre as tradicionais feiras de vinho dessa época do ano na França, traz um grande artigo elogioso sobre a viticultura brasileira. O texto afirma que “após 20 anos de muito trabalho e investimento, os vinhos da Serra Gaúcha são admiráveis e alguns estão entre os melhores do mundo”.

Publicidade

O artigo do correspondente do Le Monde no Brasil, que foi especialmente a Bento Gonçalves para fazer a reportagem, traz como título “Rouges Brésil” (Tintos do Brasil). Nicolas Bourcier dá uma aula de história e da evolução de viticultura no Brasil, desde a chegada dos imigrantes italianos e alemães no século 19 até os dias de hoje.

Ele visitou as principais vinícolas da Serra Gaúcha, Pizzato, Miolo, Carraro, que investiram muito nos últimos anos e produzem vinhos finos de qualidade. Ele apresenta a região como “uma mina de ouro a céu aberto, responsável por 80% da produção de vinhos brasileiros”. Os produtores ouvidos lembram que o vinho brasileiro não é competitivo no mercado internacional, dá pouco lucro e custa caro, mas alguns produtos, como o Faces selecionado pela FIFA como vinho oficial da Copa do mundo de 2014, são excelentes. Bourcier provou o Faces e ficou impressionado : “um vinho de ourives, precioso, que fica na memória”.

Por um momento, a degustação dos bons vinhos do país faz esquecer que o Brasil é o país da cerveja e da cachaça, diz o artigo. Somente dois litros de vinho são consumidos por ano e por habitante no Brasil, muito pouco se comparado com os vizinhos argentinos (26 litros) ou chilenos (15 litros). Além disso, 80 % dos vinhos vendidos no país são importados e o país é o único que exporta muito pouco sua produção. O potencial de crescimento é enorme, afirma o Le Monde.

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.