Acessar o conteúdo principal
Brasil/Mensalão

Prisão imediata de condenados do mensalão repercute na Europa

O Supremo Tribunal Federal (STF) julga os novos recursos da Ação Penal 470, o processo do mensalão. Os ministros analisam os segundos embargos de declaração de dez réus. Na foto, o presidente da Corte, ministro Joaquim Barbosa.
O Supremo Tribunal Federal (STF) julga os novos recursos da Ação Penal 470, o processo do mensalão. Os ministros analisam os segundos embargos de declaração de dez réus. Na foto, o presidente da Corte, ministro Joaquim Barbosa. Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Sites de vários jornais europeus noticiaram nesta quinta-feira, 14 de novembro de 2014, a decisão do STF de pedir a prisão imediata dos condenados no escândalo do mensalão. Todos os jornais destacam a provável prisão do ex-ministro da Casa Civil de Lula, José Dirceu, e de outros ex-dirigentes do PT. Os artigos também lembram a importância do julgamento do mensalão, o maior processo contra a corrupção da história do Brasil.

Publicidade

O jornal português Público detalha o longo esquema do mensalão e diz que os ministros do STF determinaram, “em uma sessão confusa e pontuada por debates acalorados”, a execução imediata da pena para 16 condenados. Onze irão para a prisão e seus nomes deverão ser revelados hoje pelo presidente do Supremo, Joaquim Barbosa, informa o Público.

A AFP ressalta que até agora apenas o ex-diretor do Banco do Brasil, Henrique Pizzolatto teve a sua prisão preventiva decretada.

Consequências eleitorais

O El Pais explica que o STF estava dividido sobre a questão e foi surpreendido pelo pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, de prisão imediata dos réus do mensalão. O jornal espanhol analisa que esta decisão poderá ser positiva para o PT nesse momento de início de campanha eleitoral. Com os ex-colaboradores do primeiro governo Lula condenados na prisão, “a notícia desapareceria da mídia antes dos brasileiros irem às urnas”.

A AFP também faz uma análise do possível impacto eleitoral da decisão do STF. Mas para a agência francesa o tema não vai sair das páginas dos jornais durante a campanha pela reeleição de Dilma Rousseff por causa do julgamento dos recursos de José Dirceu e outros 11 réus condenados no ano que vem.

O El Economista lembra que apesar do escândalo Lula conseguiu se reeleger em 2006 e continua mais popular do que nunca. O site espanhol cita pesquisa apontando a vitória do ex-presidente contra Dilma Rousseff em 2014 e diz que Lula quer “que o PT volte a liderar a luta do povo brasileiro 24 horas por dia.”
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.