Acessar o conteúdo principal
Brasil

Inauguração de templo da Igreja Universal repercute na imprensa estrangeira

Presidente Dilma Rousseff com Edir Macedo, fundador da Igreja Universal do Reino de Deus.
Presidente Dilma Rousseff com Edir Macedo, fundador da Igreja Universal do Reino de Deus. divulgação/universal

A inauguração do gigantesco Templo de Salomão, novo endereço da Igreja Universal do Reino de Deus no bairro popular do Brás, em São Paulo, atraiu a atenção da mídia internacional. As reportagens destacam o avanço das igrejas neopentecostais no Brasil e o peso desse eleitorado nas próximas eleições.

Publicidade

Os adjetivos “gigantesco” e “monumental” são os mais empregados pela mídia internacional para descrever o Templo de Salomão. A obra, que ocupa uma área quase quatro vezes superior à da Basílica de Aparecida, é vista como um símbolo do poder das igrejas evangélicas no Brasil, sobretudo da Igreja Universal do Reino de Deus. “Essa igreja é baseada, essencialmente, na ideia de cura espiritual e de teologia da prosperidade. (...) No Brasil, ela tem 6 mil templos”, escreve o jornal católico francês La Croix.

O diário também destaca a presença da presidente Dilma Rousseff na inauguração, mas lembra que, em 2001, o fundador da igreja, Edir Macedo, enfrentou problemas com a Justiça. “Ele foi acusado de pelo Ministério Público de São Paulo por lavagem de bilhões de dólares obtidos dos fiéis em troca de falsas promessas de ajuda espiritual”, lembra La Croix.

O site da revista Forbes ressalta a dimensão colossal do novo templo que “destronou”, em tamanho, a estátua do Cristo Redentor no Rio de Janeiro. “Para Macedo, construir uma réplica do Templo de Salomão é uma forma de demarcar seu espaço no meio do mundo religiosos no Brasil. E ele fez isso em grande estilo: o templo custou US$ 300 milhões custeados por fundos doados pelos seus membros”.

O site da revista francesa L’Express noticia que Macedo é “um antigo funcionário da loteria do Estado do Rio de Janeiro e atual proprietário da rede de televisão Record, a segunda maior do Brasil atrás da Globo”.

Laços políticos

Antes mesmo da inauguração, o New York Times dedicou uma reportagem ao novo local religioso. O jornal dissecou a relação entre a igreja e o governo da presidente Dilma Rousseff, cuja base política inclui “um bloco de líderes conservadores religioso, incluindo o sobrinho de Edir Macedo, Marcelo Crivella, que é pastor, cantor gospel e, recentemente, ocupou a pasta do Ministério da Pesca”.

O jornal também destaca a expansão, em velocidade acelerada, do número de fiéis da Universal. “Ninguém mudou tanto a paisagem religiosa n Brasil quanto Edir Macedo, fundador da igreja, que, hoje, viaja em jatinho privado e com passaporte diplomático- um privilégio também concedido no Brasil para altos representantes do Vaticano. [A igreja de Macedo] alia a teologia da prosperidade com cânones das igrejas pentecostais, como exorcismo e curas”, diz New York Times.
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.