Acessar o conteúdo principal

Príncipe Charles elogia ação do Brasil contra desmatamento

O príncipe Charles discursando na COP 21, elogia política de combate ao desmatamento no Brasil.
O príncipe Charles discursando na COP 21, elogia política de combate ao desmatamento no Brasil. REUTERS/Christian Hartmann

Quase todos os líderes internacionais já deixaram a Conferência do Clima de Paris nesta terça-feira (1), segundo dia da COP 21. Pela manhã, a grande atração foi a intervenção do príncipe Charles, de Gales, em um painel sobre a preservação das florestas. O britânico elogiou o desempenho do Brasil na redução do desmatamento da Amazônia.

Publicidade

De 2004 a 2015, a devastação da floresta amazônica caiu 79%, uma conquista que vem sendo elogiada na COP21. A redução do desmatamento é a principal ferramenta do Brasil para cortar emissões de gases de efeito estufa. O país promete acabar com o desmatamento ilegal até 2030.

“Quando a vontade política e liderança chegam à iniciativa privada e à sociedade civil, tudo se torna possível, como o Brasil e outros começam a demonstrar”, destacou Charles, uma personalidade engajada na luta contra a destruição das florestas. O príncipe afirmou que a “vontade política e a liderança no mais alto nível, como a ministra do Meio Ambiente do Brasil, Izabela Teixeira”, são fundamentais para não apenas diminuir a devastação, como restaurar as matas destruídas.

Não há plano B a não ser agir

“Parar o desmatamento tem de se tornar o objetivo com o qual cada companhia de commodities deve se comprometer. Zerar o desmatamento precisa se tornar a norma, e não a exceção”, disse Charles. Ele ressaltou que “não há plano B” para a humanidade contra as mudanças climáticas a não ser tomar medidas efetivas para limitar as emissões de gases de efeito estufa.

A ministra brasileira do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, também participou deste painel. Ela explicou que o combate à devastação precisa de políticas públicas eficientes, mas também é fundamental poder contar com o apoio dos legisladores e do setor privado. “Iniciativas pequenas até trazem resultados, mas não vão resolver o problema”, observou. “O Brasil é um país imenso, por isso precisa de projetos grandes para acabar com o desmatamento.”

Financiamento para os países africanos

Nesta manhã, o presidente francês, François Hollande, realizou uma cúpula com 14 líderes africanos para falar sobre o desenvolvimento do setor energético na África. O presidente francês prometeu uma ajuda de € 6 bilhões de euros para o continente até 2020, dos quais € 2 bilhões apenas para as energias renováveis, como a solar.

Hollande disse que a França “quer dar o exemplo” na questão do financiamento aos países do sul para se adaptarem para uma economia mais limpa. “Há uma dívida ecológica que o mundo deve acertar com o continente africano”, afirmou. O aporte de recursos para os países pobres é um dos principais entraves para um acordo climático em Paris.

 

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.