Acessar o conteúdo principal
Corrupção / Crise / Emergentes

Brasil é "um exemplo perfeito" de corrupção, diz Les Echos

Foto de soldados brasileiros defendendo sede da Petrobras de depredação, durante manifestação no Rio de Janeiro, ilustra matéria do Les Echos.
Foto de soldados brasileiros defendendo sede da Petrobras de depredação, durante manifestação no Rio de Janeiro, ilustra matéria do Les Echos. Foto Les Echos

A crise no Brasil e nos demais grandes países emergentes é analisada nesta sexta-feira (8) pelo jornal francês Les Echos. Na avaliação do diário, a "corrupção endêmica" no México, na Rússia, China, Índia, África do Sul, além do Brasil, "representa o maior entrave ao desenvolvimento econômico".

Publicidade

Les Echos explica a seus leitores que o Brasil é afetado "por uma série inacreditável de escândalos de corrupção" que tiveram origem nas descobertas da Lava Jato na Petrobras. "É verdade que os emergentes são impactados por fatores externos, como a volatilidade dos mercados financeiros, o baixo crescimento na Europa, a queda dos preços do petróleo e das matérias-primas, além do aumento das taxas de juros nos Estados Unidos, mas as dificuldades econômicas atuais são agravadas pelo elevado grau de corrupção em todas as esferas nesses países", observa o diário.

Les Echos cita um relatório do Banco Mundial que afirma que entre 10% e 30% dos créditos de grandes projetos de infraestrutura são "engolidos pela corrupção". Em cada sete contratos de obras, seja para a construção de aeroportos, portos ou outros projetos vitais de infraestrutura, pelo menos um deles provoca desvio de fundos", diz o texto. O pagamento de propina, a apropriação ilegal de recursos públicos, o roubo e o clientelismo foram calculados pelo Banco Mundial e geram perdas estimadas em US$ 3,1 trilhões, ou seja, 5,1% do PIB mundial.

"Políticos brasileiros são incapazes de fazer reformas"

O jornal aponta o Brasil como o exemplo perfeito dos males gerados pela corrupção. Depois de viver uma década de crescimento notável, o país mergulhou numa recessão violenta, a ponto de ser rebaixado pelas agências de classificação de risco financeiro para a categoria de "mau pagador".

Segundo Les Echos, a queda das exportações brasileiras de matérias-primas está longe de ser a única razão desse desastre. "A crise é provocada principalmente pela incapacidade dos políticos brasileiros de realizar reformas necessárias ao país, e a perda de confiança gerada pelos inacreditáveis e sucessivos escândalos de corrupção", escreve Les Echos.

As críticas do jornal não são endereçadas somente ao Brasil. A China, de acordo com Les Echos, é um outro exemplo de administração corrupta. O diário francês ressalta que embora o presidente chinês, Xi Jinping, tenha assumido pessoalmente o combate à corrupção no país, as falcatruas entre os dirigentes de empresas públicas e o Partido Comunista Chinês são práticas tão arraigadas que tem sido difícil mudar essa cultura.

Para Les Echos, a solução para diminuir a corrupção nos emergentes passa por maior atuação da sociedade civil nos negócios com dinheiro público.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.