Acessar o conteúdo principal

Protesto contra Dilma reúne brasileiros em Paris

Manifestantes se reuniram em praça próxima à Embaixada do Brasil na França.
Manifestantes se reuniram em praça próxima à Embaixada do Brasil na França. Gabriel Brust / RFI

Reunidas em uma praça a 350 metros da Embaixada do Brasil em Paris, cerca de 60 pessoas protestaram no início da tarde deste domingo (13) contra o governo da presidente Dilma Rousseff. A manifestação, convocada pelas redes sociais, reuniu brasileiros que moram na capital francesa, estudantes e alguns poucos turistas de passagem.

Publicidade

A reunião foi autorizada pela prefeitura de Paris, que designou três policiais para acompanhar o protesto. O grupo se reuniu entre às 13h e 14h45 (9h e 10h45 no horário de Brasília), embalado por uma caixa de som com músicas de Gabriel, O Pensador, Legião Urbana e Lobão.

O figurino foi bastante parecido com as manifestações ocorridas no Brasil em 2015: camisetas da seleção, bandeiras e perucas vedes e amarelas, além de bonecos infláveis retratando o ex-presidente Lula como presidiário.

Hagen Schoof, 32 anos, foi além e resolveu vestir ele mesmo a roupa de presidiário. “Na faculdade tem um dia em que todos os alunos vão fantasiados. Eu já tinha essa fantasia por isso, então, casou perfeito com a situação, para representar o Lula preso”, explicou o estudante de MBA, que está há seis meses na capital francesa, onde deve ficar por um ano. “Vim para representar o Brasil na França. Está todo mundo cansado. Apesar de estar aqui, meu coração está no Brasil”, disse Schoof.

A produtora de eventos Raphaella Novaes, 43 anos, estava com o rosto pintado carregando no colo um boneco inflável do ex-presidente Lula. “Eu quero uma França no Brasil, eu quero um Estados Unidos lá. Temos todo o potencial, temos um povo incrível que está cansado, que está mal-humorado e se matando por qualquer coisa. E eu estou cansada disso e quero um país mais justo”, contou Raphaella, que está em Paris para uma estadia de três meses de estudo.

“Le PT dehors”

O jovem francês Raphael, 19 anos, filho de brasileira, aderiu à manifestação vestindo uma bandana com a bandeira do Brasil enrolada na cabeça. “Vou ao Brasil uma vez por ano ver minha mãe. Isso me afeta porque tenho família e amigos lá. Se um dia decidir ir morar lá, quero um Brasil melhor, com mais igualdade e menos corrupção. A população brasileira está acordando”, afirma Raphael. O estudante é taxativo em apontar a solução para os problemas atuais: “Le PT dehors! (o PT fora). É importante que os partidos que estão no poder saiam e deem espaço para os outros”.

Antes da dispersão, todos se deram as mãos em círculo na Praça de l'Alma e cantaram o hino nacional. Entre os gritos de guerra, “Fora PT, o Brasil não quer você!” e “É Lava Jato!” e “Um, dois três, é Lula no xadrez”.

Os três policiais franceses não tiveram trabalho. À parte um ciclista que passou rapidamente pela calçada apontando o dedo do meio para os manifestantes, não foram registrados incidentes. O candidato do PSDB Aécio Neves foi o vencedor das eleições presidenciais de 2014 entre os brasileiros que votam em Paris, quebrando uma longa hegemonia de vitórias dos candidatos do Partido dos Trabalhadores, sigla que tem um núcleo de apoiadores na cidade. 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.